publicidade

Pesquisar no Site


Dica do professor Dilson Catarino

Adjunto adnominal x predicativo do objeto

Veja mais
Gramática
Voltar

Encontros vocálicos

31/12/2013

Encontro vocálico é o agrupamento de vogais e semivogais. Há três tipos de encontros vocálicos:

 

- Hiato= É o agrupamento de duas vogais, cada uma numa sílaba diferente: Lu-a-na, a-fi-a-do, pi-a-da, ca-os

 

- Ditongo= É o agrupamento de uma vogal e uma semivogal, em uma mesma sílaba. Quando a vogal estiver antes da semivogal, denomina-se Ditongo Decrescente, e, quando a vogal estiver depois da semivogal, Ditongo Crescente. Denomina-se também oral e nasal, conforme ocorrer a saída do ar pelas narinas ou pela boca.

 

Cai-xa: Ditongo decrescente oral.
Cin-quen-ta: Ditongo crescente nasal.

 

- Tritongo= É o agrupamento de uma vogal e duas semivogais. Também pode ser oral ou nasal.

 

A-guei: Tritongo oral.

Á-guem: Tritongo nasal, com a ocorrência da semivogal m.

 


Além desse três, há outros encontros vocálicos importantes:

O agrupamento de uma semivogal entre duas vogais. São os grupos aia, eia, oia, uia, aie, eie, oie, uie, aio, eio, oio, uio, uiu. Eis alguns exemplos de palavras: praia, ideia, joia, imbuia, arreio, arroio, balaio, feio, tuiuiú.

 

Foneticamente, ocorre duplo ditongo ou tritongo + ditongo ou ditongo + tritongo, conforme o número de semivogais. Representa-se o som de i com duplo Y: ay-ya, ey-ya, representando o "y-y" um fonema apenas, e não dois como parece. A pronúncia do i é continuada em ambas as sílabas, sem o silêncio que caracteriza a mudança de sílaba. A palavra vaia, então, tem quatro letras (v - a - i - a) e quatro fonemas (/v/  /a/  /y/ /a/), sendo que o "y" pertence às duas sílabas, não havendo, no entanto, silêncio entre as duas no momento de pronunciar a palavra. Foneticamente, há, então, dois ditongos: ay e ya.

 

Em sequoia, há um tritongo (woy) e um ditongo crescente (ya).

Em “Que vós saiais”, há um ditongo decrescente (ay) e um tritongo (yay)

 

Na separação silábica, o i ficará na sílaba anterior: prai-a, mei-a, joi-o, mai-o, fei-o, im-bui-a, tui-ui-ú, se-quoi-a, sai-ais.

 

O mesmo ocorre com a semivogal W: aua, aue, aui...

 

Pi-au-í = Representação fonética: Pi-aw-wi. Com o "w" ocorre o mesmo que ocorreu com o "y", ou seja, representa um fonema apenas e pertence a ambas as sílabas, não havendo o silêncio entre elas no momento de pronunciar a palavra.

 

Ocorrem, também, na Língua Portuguesa, encontros vocálicos que ora são pronunciados como ditongo, ora como hiato. São eles:

 

Sinérese= São os agrupamentos ae, ao, ea, eo, ia, ie, io, oa, oe, ua, ue, uo:

Ca-e-ta-no ou Cae-ta-no; ge-a-da ou gea-da; Na-tá-li-a ou Na-tá-lia; du-e-lo ou due-lo.

 

Diérese= São os agrupamentos ai, au, ei, eu, iu, oi, ui.

re-in-te-grar ou rein-te-grar; re-u-nir ou reu-nir; di-u-tur-no ou diu-tur-no.

Obs.: Há palavras que, mesmo contendo esses agrupamentos não sofrem sinérese nem diérese. Há de ter bom senso no momento de se separarem as sílabas. Nas palavras rua, tia, magoa, por exemplo, é claro que só há hiato.

 

 

© Gramática On-line • 1999 - 2017• Todos os direitos reservados ao autor. Proibida cópia total ou parcial dos conteúdos.