Gramática On-line | Por Prof. Dílson Catarino

373 textos cadastrados no site da Gramática On-line

Anuncios Google
Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Ultima atualização: 08 AGO 2013

/ TESTE SEUS CONHECIMENTOS

Substantivos e adjetivos - gabarito comentado

01) Coloque os substantivos abaixo no plural de acordo com as regras de flexão dos nomes compostos:

a) couve-flor: couves-flores / couves-flor

Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: couves-flores e couves-flor. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

b) obra-prima: obras-primas

Substantivo composto formado por substantivo + adjetivo: ambos variam.

c) guarda-chuva: guarda-chuvas

Substantivo composto formado por verbo + substantivo ou por qualquer palavra invariável + substantivo: somente o substantivo varia. O vocábulo “guarda”, no substantivo em questão é verbo.

d) sempre-viva: sempre-vivas

Substantivo composto formado por palavra invariável + substantivo: somente o substantivo varia. O vocábulo “sempre” é advérbio, por isso, invariável.

e) pão de ló: pães de ló

Substantivo formado por três elementos, dos quais o segundo é uma preposição: somente o primeiro varia. O vocábulo “de” é uma preposição.

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que a palavra represente espécie zoológica ou botânica, por isso o substantivo composto pão-de-ló passou a ser escrito “pão de ló”, e o plural, “pães de ló”. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.

f) pé de cabra: pés de cabra

Substantivo formado por três elementos, dos quais o segundo é uma preposição: somente o primeiro varia. O vocábulo “de” é uma preposição.

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que a palavra represente espécie zoológica ou botânica, por isso o substantivo composto pé-de-cabra passou a ser escrito “pé de cabra”, e o plural, “pés de cabra”. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.

Há também a palavra “pé-de-cabra”, outro nome de “salsa-da-praia”, espécie botânica. O seu plural é o mesmo: pés-de-cabra, salsas-de-praia.

g) amor-perfeito: amores-perfeitos

Substantivo composto formado por substantivo + adjetivo: ambos variam.

h) navio-escola: navios-escola

Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro.   Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

i) salário-família: salários-família / salários-famílias

Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: salários-família e salários-famílias. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

j) banana-prata: bananas-prata / bananas-pratas

Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: bananas-prata e bananas-pratas. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

l) tenente-coronel: tenentes-coronéis

Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Não é o que ocorre com “tenente-coronel”, por isso ambos variam: tenentes-coronéis.

m) bate-boca: bate-bocas

Substantivo composto formado por palavra invariável + substantivo: somente o substantivo varia. O vocábulo “bate” é verbo, por isso, invariável.

n) abaixo-assinado: abaixo-assinados

Substantivo composto formado por palavra invariável + adjetivo: somente o adjetivo varia. O vocábulo “abaixo” é advérbio, por isso, invariável.

o) guarda-roupa: guarda-roupas

Substantivo composto formado por verbo + substantivo ou por qualquer palavra invariável + substantivo: somente o substantivo varia. O vocábulo “guarda”, no substantivo em questão é verbo.

p) joão-de-barro: joões-de-barro

Substantivo formado por três elementos, dos quais o segundo é uma preposição: somente o primeiro varia. O vocábulo “de” é uma preposição.

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que a palavra represente espécie zoológica ou botânica. O substantivo composto “joão-de-barro” representa espécie zoológica, por isso mantém o hífen.

q) mula sem cabeça: mulas sem cabeça

Substantivo formado por três elementos, dos quais o segundo é uma preposição: somente o primeiro varia. O vocábulo “sem” é uma preposição.

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que a palavra represente espécie zoológica ou botânica, por isso o substantivo composto mula-se-cabeça passou a ser escrito “mula sem cabeça”, e o plural, “mulas sem cabeça”. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.


02) A alternativa em que o plural dos nomes compostos está empregado corretamente é:

a) pé de moleques / beija-flores / navios-escola

b) pés de moleques / beija-flores / navios-escolas

c) pés de moleque / beija-flores / navios-escola

d) pé de moleque / beijas-flores / navios-escola

e) pés de moleque / beija-flores / navios-escolas

Pé de moleque: pés de moleque

Substantivo formado por três elementos, dos quais o segundo é uma preposição: somente o primeiro varia. O vocábulo “de” é uma preposição.

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que a palavra represente espécie zoológica ou botânica, por isso o substantivo composto pé-de-moleque passou a ser escrito “pé de moleque”, e o plural, “pés de moleque”. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.

Beija-flor: beija-flores

Substantivo composto formado por verbo + substantivo ou por qualquer palavra invariável + substantivo: somente o substantivo varia. O vocábulo “beija”, no substantivo em questão é verbo.

Navio-escola: navios-escola

Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: couves-flores e couves-flor. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.


03) Qual o plural de Qualquer capitão-mor português?

  • Qualquer: única palavra da língua em que o plural é feito em seu interior: quaisquer, por ser a junção de qual com quer.
  • Capitão-mor: substantivo composto formado por substantivo + adjetivo, por isso ambos ficam no plural: capitães-mores. Mor é a forma reduzida de maior.
  • Português: como todo adjetivo pátrio terminado em –ês, o plural é portugueses.

04) Qual o plural de O cristão vê, no cesto, apenas um peixinho e um pãozinho.

  • Cristão: plural: cristãos, como ocorre com pagãos, cidadãos e artesãos.
  • : eles veem. Os verbos crer, dar, ler e ver têm a duplicação do e na terceira pessoa do plural, sem acento. A Reforma Ortográfica eliminou o acento da terminação –eem.
  • Pãozinho: substantivo no diminutivo terminados em zinho se pluralizam da seguinte maneira: separa-se o substantivo do sufixo zinho: pão + zinho; coloca-se o substantivo no plural: pães: juntam-se os dois elementos novamente, colocando o s no final da palavra: pãezinhos.

O plural da frase, então é Os cristãos veem, nos cestos, uns peixinhos e uns pãezinhos.


05) Qual o plural incorreto?

  • Cidadão – cidadões
  • Cônsul – cônsules
  • Projetil – projetis
  • Corrimão – corrimões
  • Olho de sogra – olhos de sogra

Cidadão: plural: cidadãos, como ocorre com pagãos, cristãos e artesãos. 

Cônsul: plural: cônsules

Projetil: plural: projetis. Há duas maneiras – ambas adequadas – de se usar a palavra cujo significado é corpo disparado por uma arma: projetil, palavra oxítona (a sílaba tônica é a última (til), cujo plural é projetis (oxítona novamente), e projétil, palavra paroxítona (a sílaba tônica é a penúltima (), cujo plural é projéteis (paroxítona novamente). O mesmo acontece com réptil: tanto pode ser oxítona – reptil – quanto paroxítona – réptil. Plural: reptis e répteis.

Corrimão: plural: corrimões.

 

Olho de sogra: plural: olhos de sogra. Substantivo composto formado por substantivo + preposição + substantivo tem a formação do plural com apenas o primeiro elemento se pluralizando. A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que haja a formação de palavra formadora de espécie botânica ou zoológica. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.


06) Em qual grupo de palavras todas estão pluralizadas adequadamente?

  • Alto-falantes, coraçãozinhos, afazeres, víveres
  • Espadas, frutas-pão, pé de moleques, peixe-bois
  • Vaivéns, animaizinhos, beija-flores, águas-de-colônia
  • Animalzinhos, vaivéns, salários-família, pastelzinhos
  • Guardas-chuvas, guarda-costas, guardas-civis, couves-flores

- Pluralização de substantivos no diminutivo com o sufixo zinho: separa-se o substantivo do sufixo zinho: coração + zinho, animal + zinho, pastel + zinho; coloca-se o substantivo no plural: corações, animais, pastéis: juntam-se os dois elementos novamente, colcando o s no final da palavra: coraçõezinhos, animaizinhos, pasteizinhos. Nenhum substantivo terminado em zinho tem acento, uma vez que a sílaba tônica é zi, passando a ser uma paroxítona terminada em o, que não é acentuada.

- afazeres e víveres são palavras usadas apenas no plural. Os gramáticos puristas consideram-nos inadequados e sugerem o uso de ocupação, trabalho, negócio¸em vez de afazeres e de gêneros alimentícios, mantimentos comestíveis em vez de víveres.

- espada: substantivos simples terminados em vogal pluralizam-se com o acréscimo da desinência nominal de número s: espadas.- vaivém: substantivos compostos sem hífen pluralizam-se como os substantivos simples: substantivo terminado em m pluraliza-se com a troca do m por ns: vaivéns.

- pé de moleque, água-de-colônia: substantivos compostos formados por substantivo + preposição + substantivo: somente o primeiro elemento se pluraliza: pés de moleque, águas-de-colônia. A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, a não ser que a palavra forme espécie botânica ou zoológica. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.

- alto-falante: substantivos compostos formados por advérbio + adjetivo: somente o adjetivo se pluraliza: alto-falantes.

- fruta-pão: admite dois plurais: frutas-pães e frutas-pão. Há quem pluralize ainda somente o último elemento: fruta-pães.

- peixe-boi, salário-família couve-flor: substantivos compostos formados por dois substantivos: ambos se pluralizam. Se o segundo substantivo, porém, indicar tipo ou finalidade do primeiro, haverá  dois plurais: ambos ou somente o primeiro: couves-flor / couves-flores; peixes-boi / peixes-bois; salários-família / salários-famílias. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

Curiosidade: O feminino de peixe-boi não é peixe-vaca como possa parecer, e sim peixe-mulher.

- beija-flor: substantivos compostos formados por verbo + substantivo: somente o substantivo se pluraliza: beija-flores.

- guarda-chuva, guarda-costas, guarda-civil: substantivos compostos iniciados por guarda: se indicar pessoa: ambos se pluralizam: guardas-civis; se indicar “coisa”: somente o substantivo se pluraliza: guarda-chuvas; se o segundo elemento já estiver no plural ou se for invariável: o substantivo composto fica invariável: o guarda-costas; os guarda-costas.


07) Em qual frase não há um substantivo empregado no diminutivo?

  • Coleciono corpúsculos significativos por princípios óbvios da minha natureza.
  • Faça questiúnculas somente se forem suficientes para a formação de ideias essenciais.
  • Os silvícolas optaram pelo uso da linguagem fundamental em gestos e expressões.
  • O chuvisco contínuo de gracejos sentimentais perturba-me a mente cansada.
  • Esses versículos poderão complicar sua relação com os visitantes de má política.

Corpúsculo: diminutivo irregular de corpo

Questiúncula = questão de pouca importância

Chuvisco = chuva fina e passageira

Versículo = pequeno verso


08) Onde há somente palavras masculinas?

  • Dinamite, agiota, trema, cal
  • Dilema, perdiz, tribo, axioma
  • Eclipse, telefonema, dó, aroma
  • Estratagema, bílis, omoplata, gengibre
  • Sistema, guaraná, rês, anátema

São masculinas: trema, dilema, perdiz, axioma, eclipse, telefonema, dó, aroma, estratagema, gengibre, sistema, guaraná, anátema.

São femininas: dinamite, cal, tribo, bílis, omoplata, rês

É substantivo de dois gêneros (masculino e feminino): agiota


09) Qual o feminino de monge, duque, papa e profeta?

Monge: monjaDuque: duquesaPapa: papisa

Profeta: profetisa


10) Onde não há substantivo sobrecomum?

  • Ele foi a testemunha ocular do crime naquela polêmica reunião.
  • Aquela jovem ainda conserva a ingenuidade meiga e dócil da criança.
  • A intérprete morreu mantendo-se como um ídolo indestrutível na memória de seus admiradores.
  • As famílias desestruturam-se quando os cônjuges agem sem consciência.
  • O pianista executou com melancolia e suavidade a sinfonia preferida pela platéia.
 

Substantivos sobrecomuns são substantivos de apenas um gênero (masculino ou feminino) usados para representar pessoas de ambos os sexos: a testemunha, a criança, o ídolo, o cônjuge.

Substantivo comum de dois gêneros são substantivos de ambos os gêneros usados para representar pessoa de ambos os sexos: o jovem, a jovem; o intérprete, a intérprete; o pianista, a pianista.

Substantivos epicenos são substantivos de apenas um gênero usados para representar animais. Usam-se os substantivos adjetivados macho e fêmea para distinguir o gênero: a cobra macho, a cobra fêmea.


11) Onde não há um substantivo no diminutivo?

  • Todas as moléculas foram conservadas com as propriedades particulares, independentemente da atuação do cientista.
  • O ar senhoril daquele homúnculo transformou-o no centro das atenções na tumultuada assembleia.
  • Através da vitrine da loja, a pequena observava curiosamente os objetos decorativos expostos à venda, por preço bem baratinho.
  • De momento a momento, surgiam curiosas sombras e vultos apressados na silenciosa viela.
  • Enquanto distraía as crianças, a professora tocava flautim, improvisando cantigas alegres e suaves.

Molécula: palavra que proveio do latim molecula, diminutivo de moles, cujo significado é massa, volume.

Homúnculo: diminutivo erudito de homem. O aumentativo é homenzarrão.

Viela: diminutivo de via.

Flautim: pequena flauta.


12) Que tipo de substantivo são cônjuge, criança, cobra e cliente?

Cônjuge e criança: sobrecomuns

Cobra: epiceno

Cliente: comum de dois


13) Qual o plural de couve-flor, pão de ló e amor-perfeito?

- couve-flor: substantivos compostos formados por dois substantivos: ambos se pluralizam, a não ser que o segundo elemento indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: couves-flores e couves-flor. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

- pão de ló: substantivos compostos formados por substantivo + preposição + substantivo: somente o primeiro elemento se pluraliza: pães de ló

- amor-perfeito: substantivos compostos formados por substantivo + adjetivo: ambos se pluralizam: amores-perfeitos.


14) Qual o plural de amor-perfeito e sempre-viva?

Amor-perfeito: substantivos compostos formados por substantivo + adjetivo: ambos se pluralizam: amores-perfeitos.

Sempre-viva: substantivos compostos formados por advérbio + adjetivo: somente o adjetivo se pluraliza:  sempre-vivas


15) Qual o plural de escrivão e salário-família?

Escrivão: plural: escrivães, como acontece com tabeliães, sacristães e capelães.

Salário-família: Salários-família. Substantivo composto formado por dois substantivos: ambos variam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: salários-famílias e salários-família. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.


16) Qual o plural de abaixo-assinado e tabelião?

Abaixo-assinado: Substantivo composto formado por advérbio (abaixo) e adjetivo (assinado). Todo advérbio é invariável, e os adjetivos variam em gênero (masculino e feminino) e número (singular e plural). O plural de abaixo-assinado, portanto, é abaixo-assinados.

Tabelião: A pluralização dos substantivos terminados em –ão é bastante complicada por não haver uma regra só. Há substantivos que se pluralizam em –ãos, como cidadãos, artesãos, pagãos e cristãos; há os que se pluralizam em –ões, como gaviões, foliões e questões, e há os que se pluralizam em ­–ães, como tabeliães, escrivães, sacristães e capelães. O plural de tabelião, portanto, é tabeliães.


17) As palavras que se pluralizam como além-mar e anglo-saxão é:

  • Furta-cor e verde-oliva
  • Alto-falante e surdo-mudo
  • Cola-tudo e sino-soviético
  • Guarda-civil e azul-marinho
  • Abaixo-assinado e vermelho-claro

Além-mar é um substantivo composto formado por advérbio + substantivo, por isso somente o substantivo se pluraliza: além-mares.

Anglo-saxão: é um adjetivo composto, por isso somente o último elemento concorda com o substantivo: anglo-saxões.

Furta-cor, alto-falante e abaixo-assinado: substantivos compostos formados por verbo + substantivo (furta-cor) e advérbio + adjetivo (alto-falante e abaixo-assinado): somente o último elemento se pluraliza: furta-cores, alto-falantes, abaixo-assinados.

Cola-tudo: substantivo composto de dois números, ou seja, invariável: o cola-tudo; os cola-tudo.

Guarda-civil: substantivo composto iniciado por guarda indicador de pessoa: ambos os elementos se pluralizam: guardas-civis.

Verde-oliva, sino-soviético: adjetivos compostos: somente o último elemento concorda com o substantivo (sino-soviéticos, vermelho-claros), a não ser que um dos elementos seja representado por um substantivo; nesse caso, o adjetivo composto fica invariável: fardas verde-oliva.Surdo-mudo: ambos os elementos variam: menino surdo-mudo, meninos surdos-mudos, menina surda-muda, meninas surdas-mudas.

Azul-marinho: adjetivo composto invariável, como acontece com azul-celeste, ultravioleta e com todos os adjetivos compostos iniciados por cor-de-....


 

18) Identifique o substantivo usado apenas no plural:

  • Lápis
  • Pires
  • Tênis
  • Ônibus
  • Idos
 Lápis, pires, tênis e ônibus: substantivos invariáveis singular/plural: o lápis, os lápis; o pires, os pires; o tênis, os tênis; o ônibus, os ônibus.

Idos: substantivo masculino plural, cujo significado é os tempos passados.


19) Assinale onde aparecem substantivos simples, respectivamente, concreto e abstrato:

  • Água / vinho

Água: substantivo simples e concreto

Vinho: substantivo simples e concreto

  • Pedro / Jesus
Pedro: substantivo simples e concreto. Todo substantivo próprio é concreto.Jesus: substantivo simples e concreto. Todo substantivo próprio é concreto.
  • Pilatos / verdade
Pilatos: substantivo simples e concreto. Todo substantivo próprio é concreto.

Verdade: substantivo simples e abstrato que indica a qualidade de estar conforme com os fatos.

  • Jesus / abaixo-assinado

Jesus: substantivo simples e concreto. Todo substantivo próprio é concreto.

Abaixo-assinado: substantivo composto e concreto.

  • Nova Iorque / Deus
Nova Iorque: locução substantiva simples e concreta. Todo substantivo próprio é concreto.

Deus: substantivo simples e concreto. Todo substantivo próprio é concreto.


20) Assinale o par de vocábulos que formam o plural como órfão e mata-burro, respectivamente:

  • Cristão / guarda-roupa
  • Questão / abaixo-assinado
  • Alemão / beija-flor
  • Tabelião / sexta-feira
  • Cidadão / salário-família

Alguns substantivos terminados em -ão que se pluralizam em –ãos: cristão, cidadão, artesão, pagãos. Todas as paroxítonas terminadas em –ão se pluralizam em –ãos: bênçãos, órgãos, órfãos, acórdãos, sótãos.

Alguns substantivos terminados em –ão que se pluralizam em –ães: tabeliães, escrivães, sacristães, capelães, alemães, capitães.

Alguns substantivos terminados em –ão que se pluralizam em –ões: questões, tubarões, eleições. Todos os aumentativos se pluralizam em –ões.

Substantivos compostos:

Verbo + substantivo: só o substantivo se pluraliza: mata-burros, guarda-roupas, beija-flores

Advérbio + adjetivo: só o adjetivo se pluraliza: abaixo-assinados

Numeral + substantivo: ambos se pluralizam: sextas-feiras

Substantivo + substantivo: ambos se pluralizam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: salários-famílias e salários-família. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.


21) Indique a frase correta:

  • Mariazinha e Rita são duas leva e trazes.
  • Os filhos de Clotilde são dois espalhas-brasas.
  • O ladrão forçou a porta com dois pés de cabra.
  • Godofredo almoçou duas couves-flor.
  • Alfredo e Radagásio são dois gentil homens.

Verbo + verbo com sentidos opostos: invariável: os leva e traz. Repetidos: ambos se pluralizam ou somente o último: piscas-piscas / piscas-pisca.

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral, por isso não há mais hífen no substantivo composto “leva e traz”.

Verbo + substantivo: só o substantivo se pluraliza: espalha-brasas.

Substantivo + preposição + substantivo: só o primeiro substantivo se pluraliza: pés de cabra. A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral. Algumas palavras, porém, mantiveram o hífen. São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia. São hifenizadas também as locuções que representam espécies botânicas ou zoológicas: cana-de-açúcar, cachorro-do-mato.

Substantivo + substantivo: ambos se pluralizam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: couves-flores e couves-flor. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

Adjetivo + substantivo: ambos se pluralizam: gentis-homens.

O teste tem, portanto, duas respostas adequadas.

 


22) Coloque os adjetivos abaixo no plural de acordo com as regras de flexão dos nomes compostos:

a) consultório médico-cirúrgico

b) instituto afro-asiático

c) literatura anglo-saxônica

d) uniforme verde-oliva

e) blusa vermelho-sangue

Somente o último elemento de um adjetivo composto concorda com o substantivo qualificado por ele; os demais ficam na forma masculina, singular. Caso o último elemento do adjetivo composto seja representado por um substantivo, todo o adjetivo composto ficará invariável. O mesmo acontece com o adjetivo simples, ou seja, se o adjetivo simples for representado por um substantivo, ficará invariável. Os adjetivos compostos azul-marinho, azul-celeste e ultravioleta são invariáveis. Já em surdo-mudo e pele-vermelha ambos os elementos variam. Dos adjetivos compostos iniciados por cor-de-..., somente cor-de-rosa manteve o hífen com a Reforma Ortográfica; os demais não são mais hifenados. Quanto à concordância, porém, todos são invariáveis.

 a) consultórios médico-cirúrgicos

b) institutos afro-asiáticos

c) literaturas anglo-saxônicas

d) uniformes verde-oliva – O vocábulo oliva é substantivo

e) blusa vermelho-sangue – O vocábulo sangue é substantivo


23) Assinale a alternativa gramaticalmente correta:

a) Na Aliança Lusa-brasileira, os porteiros usavam ternos azuis-marinhos, e as recepcionistas, saias azuis-pavões.

b) Na Aliança Luso-brasileira, os porteiros usavam ternos cinzas-chumbos, e as recepcionistas, saias verdes-olivas.

c) Na Aliança Luso-brasileira, os porteiros usavam ternos cinza-chumbo, e as recepcionistas, saias verde-oliva.

d) Na Aliança Lusa-brasileira, os porteiros usavam ternos cinzas-chumbo, e as recepcionistas, saias verdes-oliva.

e) Na Aliança Luso-brasileira, os porteiros usavam ternos cinzas-chumbo, e as recepcionistas, saias verde-olivas.

Somente o último elemento de um adjetivo composto concorda com o substantivo qualificado por ele; os demais ficam na forma masculina, singular. Caso o último elemento do adjetivo composto seja representado por um substantivo, todo o adjetivo composto ficará invariável. O mesmo acontece com o adjetivo simples, ou seja, se o adjetivo simples for representado por um substantivo, ficará invariável. Os adjetivos compostos azul-marinho, azul-celeste e ultravioleta são invariáveis. Já em surdo-mudo e pele-vermelha ambos os elementos variam. Dos adjetivos compostos iniciados por cor-de-..., somente cor-de-rosa manteve o hífen com a Reforma Ortográfica; os demais não são mais hifenados. Quanto à concordância, porém, todos são invariáveis.

O adequado, portanto, é Na Aliança Luso-brasileira, os porteiros usavam ternos cinza-chumbo, e as recepcionistas, saias verde-oliva.


24) Aponte a alternativa em que corretamente se faz a concordância dos termos sublinhados:

a) Disputas sino-soviética, informações econômico-financeiras, camisas azul-piscinas, camisas pastéis.

b) Disputas sino-soviéticas, informações econômicas-financeiras, camisas azuis-piscina, camisas pastel.

c) Disputas sinas-soviéticas, informações econômicas-financeiras, camisas azul-piscina, camisas pastéis.

d) Disputas sino-soviéticas, informações econômicas-financeiras, camisas azul-piscinas, camisas pastéis.

e) Disputas sino-soviética, informações econômico-financeiras, camisas azul-piscina, camisas pastel.

Somente o último elemento de um adjetivo composto concorda com o substantivo qualificado por ele; os demais ficam na forma masculina, singular. Caso o último elemento do adjetivo composto seja representado por um substantivo, todo o adjetivo composto ficará invariável. O mesmo acontece com o adjetivo simples, ou seja, se o adjetivo simples for representado por um substantivo, ficará invariável. Os adjetivos compostos azul-marinho, azul-celeste e ultravioleta são invariáveis. Já em surdo-mudo e pele-vermelha ambos os elementos variam. Dos adjetivos compostos iniciados por cor-de-..., somente cor-de-rosa manteve o hífen com a Reforma Ortográfica; os demais não são mais hifenados. Quanto à concordância, porém, todos são invariáveis.

O adequado, portanto, é Disputas sino-soviéticas, informações econômico-financeiras, camisas azul-piscina, camisas pastel. O vocábulo pastel, usado na frase como adjetivo, é, originalmente, substantivo.


25) Assinale a alternativa em que a palavra sublinhada não tem valor de adjetivo:

a) A malha azul estava molhada.

b) O sol desbotou o verde da bandeira.

c) Tinha os cabelos branco-amarelados.

d) As nuvens tornavam-se cinzentas.

e) O mendigo carregava um fardo amarelado.

Adjetivo é a classe gramatical que modifica substantivo, atribuindo-lhe estado, qualidade ou modo de ser. A única palavra sublinhada que não modifica substantivo encontra-se na letra B. O vocábulo verde, nessa frase, está antecedido de artigo; transformou-se em substantivo, portanto.


26) Observe as proposições abaixo:

I- Poucos autores escrevem poemas heroico-cômicos.

II- Os cabelos castanhos-escuros emolduravam-lhe o semblante juvenil.

III- Vestidos vermelhos e amarelo-laranja foram os mais vendidos na exposição.

IV- As crianças surdo-mudas foram encaminhadas à clínica para tratamento.

V- Discutiu-se muito a respeito de ciências político-sociais na última assembleia dos professores.

VI- As sociedades luso-brasileiras adquiriam novos livros de autores portugueses.

A opção que contém apenas períodos corretos quanto à flexão de número dos adjetivos é:

a) III, IV, VI

b) I, III, V

c) III, IV, V

d) II, IV, VI

e) I, II, V

Somente o último elemento de um adjetivo composto concorda com o substantivo qualificado por ele. Portanto: poemas heróico-cômicos (Na realidade, escreve-se herói-cômicos; o vestibular “errou”); cabelos castanho-escuros; ciências político-sociais; sociedades luso-brasileiras.

Se o último elemento de uma adjetivo composto for representado por um substantivo, o adjetivo composto ficará invariável: vestidos amarelo-laranja.

Dos adjetivos compostos surdo-mudo e pele-vermelha ambos os elementos variam: crianças surdas-mudas.


27) Assinale o item em que houve erro na flexão do nome composto:

a) As touceiras verde-amarelas enfeitavam a campina.

b) Os guarda-roupas são de boa madeira.

c) Na fazenda, havia muitos tatus-bola.

d) No jogo de contra-ataques, vence a melhor equipe física.

e) Os livros ibero-americanos são de fácil importação.

Somente o último elemento de um adjetivo composto concorda com o substantivo qualificado por ele: touceiras verde-amarelas; livros ibero-americanos.

Os substantivos compostos iniciados por guarda-... terão a seguinte flexão: se formarem uma pessoa, ambos os elementos variam; se formarem uma coisa, só o último elemento varia; se o segundo elemento já estiver no plural ou se for invariável, fica todo invariável: o guarda-roupa / os guarda-roupas.

Os vocábulos invariáveis isoladamente também o serão na formação de um substantivo composto: contra é uma preposição; invariável, portanto: contra-ataques.

Quando um substantivo composto for formado por dois substantivos, e o segundo indicar tipo ou finalidade do primeiro, admitem-se dois plurais: amos ou somente o primeiro: tatus-bolas e tatus-bola.

O teste, portanto, não tem resposta adequada.


28) “Considero hiperimportante a reportagem sobre o Cazuza. Talvez ela contribua para que as pessoas sintam e respeitem o problema da Aids. Torna-se imprescindível continuar a tratar as pessoas contaminadas como seres humanos.”(Carta da leitora M.C.M., enviada à Revista Veja)

Transcreva o trecho sublinhado, substituindo a expressão “torna-se imprescindível” por outra equivalente, que preserve o sentido do texto.

Pode-se substituir a expressão por é preciso.


29) Segundo a ONU, os subsídios dos ricos prejudicam o Terceiro Mundo de várias formas:

1. mantêm baixos os preços internacionais, desvalorizando as exportações dos países pobres.

2. excluem os pobres de vender para os mercados ricos.

3. expõem os produtores pobres à concorrência de produtos mais baratos em seus próprios países.

Neste texto, as palavras sublinhadas rico e pobre pertencem a diferentes classes de palavras, conforme o grupo sintático em que estão inseridas.

a) Obedecendo à ordem em que aparecem no texto, identifique a classe a que pertencem, em cada ocorrência sublinhada, as palavras rico e pobre.

1. Adjetivo, pois modifica o substantivo países.

2. Substantivo, pois está antecedido de artigo.

3. Adjetivo, pois modifica o substantivo produtores.

b) Escreva duas frases com a palavra brasileiro, empregando-a cada vez em uma dessas classes.

Adjetivo: Os cidadãos brasileiros...

Substantivo: Os brasileiros...


30)

Mil bateias vão rodando

sobre córregos escuros;

a terra vai sendo aberta

por intermináveis sulcos;

infinitas galerias

penetram morros profundos.

 

De seu calmo esconderijo,

o ouro vem, dócil e ingênuo;

torna-se pó, folha, barra,

prestígio, poder, engenho...

É tão claro! – e turva tudo:

honra, amor e pensamento.

(bateia: peneira de madeira)

Nessas estrofes, Cecília Meireles representa a extração do ouro mediante oito adjetivos, que formam dois grupos semanticamente contrastantes. Aponte os adjetivos componentes de cada um desses grupos.

Na primeira estrofe, os adjetivos são escuros, intermináveis, infinitas, profundos, os quais indicam a dificuldade de se extrair o ouro e as consequências nefastas que ele traz: turva tudo.

Na segunda estrofe, os adjetivos são calmo, dócil, ingênuo, claro, os quais determinam as características do ouro e das benesses que ele pode trazer a quem o possuir.


31- A opção em que o adjetivo determina o substantivo, mas, na verdade, qualifica o referente a que o substantivo está associado, é:

  • “Achava com facilidade milhares de ideias brilhantes”.
  • “...e com voz trêmula...”
  • “E riu-se com uma risada pálida e tola”.
  • “Luizinha fez-se cor de uma cereja”.
  • “Leonardo viu-a rir-se, um pouco estupefato”.

Os adjetivos brilhantes, trêmula e estupefato determinam e qualificam os substantivos ideias, voz e Leonardo, respectivamente. Já os adjetivos pálida e tola determinam o substantivo risada, mas qualificam o seu agente: aquele que riu.


32) Assinale a opção em que não há correspondência semântica (de significado) entre as duas palavras:

  • Gelo – glacial
  • Cabeça – cefálico
  • Fogo – ígneo
  • Pele – capilar
  • Costas – dorsal

Capilar se refere a cabelo.


33) Troque as locuções ou as orações adjetivas por adjetivos correspondentes:

  • atmosfera de sonho
  • cor de terra
  • questões de alunos
  • comportamento de grei
  • cena que provoca grito
  • terra que se pode habitar
  • encontros que só ocorrem de vez em quando
  • sagacidade de águia
  • símbolos em forma de cunha

De sonho = onírico, que provém do grego oneiron ou oneiros, ou sonial.

De terra = telúrico, que provém do latim tellus.De alunos = discente, que tem relação com discípulo, por isso com SC. Já docente, referente a professor, provém de docto ou douto, que significa que é muito instruído.De grei = gregário. Grei provém do latim gregis, termo que dá origem a muitas palavras: grêmio, agregar, congregação, segregar, segregação, desagregar. O significado de gregis é grupo de indivíduos da mesma categoria.Que provoca grito = gritanteQue se pode habitar = habitável

Que só ocorre de vez em quando = casual, que tem relação com caso, que significa o que acontece.

De águia = aquilino, que provém do latim aquila.

De cunha = cuneiforme


34) Explique a diferença de sentido entre as frases abaixo:

  1. O homem, livre, não pode deixar-se dominar dessa forma.
  2. O homem livre não pode deixar-se dominar dessa forma.

O adjetivo – ou a oração adjetiva – pode estar entre vírgulas ou não. Quando as vírgulas o separarem do substantivo qualificado por ele, será denominado de adjetivo explicativo – ou oração adjetiva explicativa. Quando não houver vírgulas separando-o do substantivo, será denominado de adjetivo restritivo – ou oração adjetiva restritiva.

O adjetivo explicativo denota uma qualidade inerente ao substantivo, ou seja, uma característica essencial, sem a qual o substantivo inexiste. Na frase 1, há, portanto, a indicação de que todo homem é livre, de que não há homem que não seja livre.

O adjetivo restritivo denota uma qualidade acessória ao substantivo, uma característica dispensável. Sendo restritivo, limita a qualificação em relação a outro termo, mais geral, mais amplo, ou seja, indica a existência de dois tipos de termos. Na frase 2, há, portanto, a indicação de que existem dois tipos de homens: aqueles que são livres e aqueles que não são livres; e que somente (restrição) aqueles que são livres não podem deixar-se dominar.

Leia mais sobre esse assunto:

http://dilsoncatarino.blogspot.com/search/label/ora%C3%A7%C3%A3o%20adjetiva%20explicativa%20%2F%20restritiva


35) Passe para o plural os substantivos destacados e respeite as mudanças que a frase poderá sofrer:

  • A descoberta técnico-científica foi muito útil.
  • O acordo luso-brasileiro não sairá.
  • Participei de espetáculo monstro.
  • A camisa marrom-escura é melhor.
  • A camisa azul-mar é mais bonita.

O adjetivo concorda com o substantivo em gênero e número (descobertas úteis), a não ser que seja representado por um substantivo. Nesse caso fica invariável (espetáculos monstro).

Se o adjetivo for composto, somente o último elemento concorda com o substantivo (descobertas técnico-científicas; acordos luso-brasileiros; camisas marrom-escuras), a não ser que um dos elementos seja representado por um substantivo. Nesse caso, o adjetivo composto fica invariável (camisas azul-mar).


36) As expressões sublinhadas correspondem a um adjetivo, exceto em:

  • João Fanhoso anda amanhecendo sem entusiasmo.
  • Demorava-se de propósito naquele complicado banho.
  • Os bichos da terra fugiam em desabalada carreira.
  • Noite fechada sobre aqueles ermos perdidos da caatinga sem fim.
  • E ainda me vem com essa conversa de homem da roça.
 

Sem entusiasmo: locução adjetiva, pois modifica o substantivo João Fanhoso.

De propósito: locução adverbial de modo, pois não modifica substantivo, mas sim o verbo “demorar”.

Da terra: locução adjetiva que modifica o substantivo bichos.

Sem fim: locução adjetiva que modifica o substantivo caatinga.

Da roça: locução adjetiva que modifica o substantivo homem.


37) Das frases seguintes, uma contém uma locução adjetiva:

  • Esta é a torneira de água quente.
  • Comprei uma lâmpada vermelha.
  • O piano dela é alemão.
  • Esta boneca é muito feia.
  • Ela é uma mulher corajosa.
 

Locução adjetiva é a junção de duas ou mais palavras com valor de adjetivo. Geralmente é formada por preposição + substantivo. Por exemplo:

De cristal = cristalino

De ouro = áureo

De prata = argênteo

Adjetivo é a classe gramatical que modifica substantivo ou pronome substantivo. Locução adjetiva, portanto, é a junção de duas ou mais palavras que modifica um substantivo. A única frase que contém isso é a primeira: o substantivo torneira é modificado pela locução adjetiva de água quente.

Os outros substantivos são modificados por uma só palavra cada: lâmpada vermelha; piano alemão; boneca feia; mulher corajosa.


38) “Talvez seja bom que o proprietário do imóvel possa desconfiar de que ele não é tão imóvel assim”. A palavra em destaque é, respectivamente:

  • substantivo e substantivo
  • substantivo e adjetivo
  • adjetivo e verbo
  • adjetivo e adjetivo
  • adjetivo e advérbio

Em proprietário do imóvel, imóvel é substantivo, pois está antecedido do artigo o. Já em não é tão imóvel assim, é adjetivo, pois modifica o pronome ele: ele não é imóvel.


39) Em qual frase o termo cego é um adjetivo?

  • Os cegos habitantes de um mundo esquemático sabem aonde ir...
  • O cego de Ipanema representava naquele momento todas as alegorias da noite escura da alma...
  • Todos os cálculos do cego se desfaziam na turbulência do álcool.
  • Naquele instante era só um pobre cego.
  • ... da Terra que é um globo cego girando no caos.
 

Adjetivo é a classe gramatical que modifica substantivo. O único que modifica substantivo é globo cego. Em todas as outras, é substantivo, pois está antecedido de artigo.


 

40) O item em que a locução adjetiva não corresponde ao adjetivo dado é:

  • Hibernal – de inverno
  • Filatélico – de folhas
  • Discente – de aluno
  • Docente – do professor
  • Onírico – de sonho
 

Filatélico: referente à filatelia = hábito e gosto de colecionar selos.


 

41) Assinale a alternativa em que é incorreta a correspondência entre o adjetivo e a locução adjetiva equivalente:

  • Investimento de vulto: investimento vultuoso
  • Azul do céu: azul celeste
  • Calor de verão: calor estival
  • Ilha de gelo: ilha glacial
  • Empréstimo com usura: empréstimo usurário

Vultuoso: diz-se do aspecto da face quando está vermelha e inchada, e com os olhos salientes.

Vultoso: que faz vulto, volumoso, importante.

A primeira frase está, portanto, inadequada. O certo é investimento vultoso.


 

42) Assinale o par de vocábulos que formam o plural como órfão e mata-burro, respectivamente:

  • Cristão / guarda-roupa
  • Questão / abaixo-assinado
  • Alemão / beija-flor
  • Tabelião / sexta-feira
  • Cidadão / salário-família
 

Alguns substantivos terminados em -ão que se pluralizam em –ãos: cristão, cidadão, artesão, pagãos. Todas as paroxítonas terminadas em –ão se pluralizam em –ãos: bênçãos, órgãos, órfãos, acórdãos, sótãos.

Alguns substantivos terminados em –ão que se pluralizam em –ães: tabeliães, escrivães, sacristães, capelães, alemães, capitães.

Alguns substantivos terminados em –ão que se pluralizam em –ões: questões, tubarões, eleições. Todos os aumentativos se pluralizam em –ões.

Substantivos compostos:

Verbo + substantivo: só o substantivo se pluraliza: mata-burros, guarda-roupas, beija-flores

Advérbio + adjetivo: só o adjetivo se pluraliza: abaixo-assinados

Numeral + substantivo: ambos se pluralizam: sextas-feiras

Substantivo + substantivo: ambos se pluralizam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: salários-famílias e salários-família. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.


43) Relativamente à concordância dos adjetivos compostos indicativos de cor, uma, dentre as seguintes, está errada:

  • Saia amarelo-ouro
  • Papel amarelo-ouro
  • Caixa-vermelho-sangue
  • Caixa vermelha-sangue
  • Caixas vermelho-sangue

Somente o último elemento do adjetivo composto concorda com o substantivo: saia amarelo-clara; saias amarelo-claras. Se, porém, um dos elementos for representado por um substantivo, ambos ficam invariáveis: caixa vermelho-sangue; caixas vermelho-sangue. São invariáveis também os seguintes adjetivos compostos: azul-marinho, azul-celeste, ultravioleta e qualquer adjetivo indiciado por cor-de-.... Com a Reforma Ortográfica, somente cor-de-rosa manteve o hífen; todos os outros o perderam: cor de café, cor de vinho, etc.


44) Indique a frase correta:

  • Mariazinha e Rita são duas leva-e-trazes.
  • Os filhos de Clotilde são dois espalhas-brasas.
  • O ladrão forçou a porta com dois pés de cabra.
  • Godofredo almoçou duas couves-flor.
  • Alfredo e Radagásio são dois gentil homens.

Verbo + verbo com sentidos opostos: invariável: os leva e traz. Repetidos: ambos se pluralizam ou somente o último: piscas-piscas / pisca-piscas. 

A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral: antes era leva-e-traz; agora, leva e traz. Há, porém, exceções: São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia. São hifenizadas também as locuções que representam espécies botânicas ou zoológicas: cana-de-açúcar, cachorro-do-mato.Verbo + substantivo: só o substantivo se pluraliza: espalha-brasas

Substantivo + preposição + substantivo: só o primeiro substantivo se pluraliza: pés de cabra. A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral: antes era pé-de-cabra; agora, pé de cabra. Há, porém, exceções: São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia. São hifenizadas também as locuções que representam espécies botânicas ou zoológicas: cana-de-açúcar, cachorro-do-mato.

Substantivo + substantivo: ambos se pluralizam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro.  Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: couves-flores e couves-flor. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

Adjetivo + substantivo: ambos se pluralizam: gentis-homens.

O teste tem, portanto, duas respostas certas. 


45) Está mal flexiona o adjetivo na alternativa:

  • Tecidos verde-olivas
  • Festas cívico-religiosas
  • Guardas-noturnos luso-brasileiros
  • Ternos azul-marinho
  • Vários porta-estandartes

Somente o último elemento do adjetivo composto concorda com o substantivo: festas cívico-religiosas, guardas-noturnos luso-brasileiros. Se, porém, um dos elementos for representado por um substantivo, ambos ficam invariáveis: tecidos verde-oliva. São invariáveis também os seguintes adjetivos compostos: azul-marinho, azul-celeste, ultravioleta e qualquer adjetivo indiciado por cor-de-.... Com a Reforma Ortográfica, somente cor-de-rosa manteve o hífen; todos os outros o perderam: cor de café, cor de vinho, etc.


46) Na sentença “Há frases que contêm mais beleza do que verdade” temos grau:

  • Comparativo de superioridade
  • Superlativo absoluto sintético
  • Comparativo de igualdade
  • Superlativo relativo
  • Superlativo por meio de acréscimo de sufixo

Há três graus comparativos:

De igualdade: tanto... quanto, tão... como.

De superioridade: mais ... que, mais ... do que

De inferioridade: menos ... que, menos ... do que

Há dois graus superlativos:

Absoluto: que pode ser sintético – por meio de sufixo (-íssimo, -ílimo, -érrimo) ou por advérbio (muito). Ex.: Ele é inteligentíssimo. Ele é muito inteligente

Relativo: que pode ser de inferioridade: o menos ou de superioridade: o mais. Ex.: Ele é o menos inteligente. Ele é o mais inteligente.

Na frase “Há frases que contêm mais beleza do que verdade” há grau comparativo de superioridade.


47) Aponte a alternativa em que haja erro quanto à flexão do nome composto:

  • Vice-presidentes, amores-perfeitos, os bota-fora
  • Tico-ticos, salários-família, obras-primas
  • Reco-recos, sextas-feiras, sempre-vivas
  • Pseudo-esferas, chefes de seção, pães de ló
  • Pisca-piscas, cartões-postais, mulas sem cabeças

Substantivos compostos:

Palavra invariável + substantivo ou adjetivo: só o substantivo ou o adjetivo se pluraliza: vice-presidentes, pseudo-esferas, sempre-vivas.

Substantivo + substantivo: ambos se pluralizam, a não ser que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. Nesse caso, há dois plurais: ambos ou somente o primeiro: salários-famílias e salários-família. Há, porém, exceções: o Volp registra somente navios-escola e bananas-ouro.

Substantivo + adjetivo: ambos se pluralizam: amores-perfeitos, obras-primas, cartões-postais.

Numeral + substantivo: ambos variam: sextas-feiras.

Substantivo + preposição + substantivo: só o primeiro substantivo se pluraliza: chefes de seção, pães de ló, mulas sem cabeça. A Reforma Ortográfica eliminou o hífen das locuções em geral: antes era chefe-de-seção, pão-de-ló, mula-sem-cabeça; agora, chefe de seção, pão de ló, mula sem cabeça. Há, porém, exceções: São elas: água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia. São hifenizadas também as locuções que representam espécies botânicas ou zoológicas: cana-de-açúcar, cachorro-do-mato.

Verbo + verbo com sentidos opostos: invariável: os leva e traz. Repetidos: ambos se pluralizam ou somente o último: piscas-piscas / pisca-piscas.

Palavras repetidas (menos verbo) ou onomatopéia: só o último elemento se pluraliza: tico-ticos, reco-recos.


48) Nas frases

  • O cônjuge se aproximou.
  • O servente veio atender-nos.
  • O gerente chegou cedo.

Onde não está claro se é homem ou mulher?

Não está claro se é homem ou mulher apenas na primeira frase, pois cônjuge é substantivo masculino, tanto para homem quanto para mulher. Já servente e gerente são comum de dois gêneros, ou seja, o artigo indica o gênero: o servente, a servente, o gerente, a gerente.


49) Em qual das alternativas colocaríamos o artigo definido feminino para todos os substantivos?

  • Sósia – doente – lança-perfume
  • Dó – telefonema – diabetes
  • Clã – eclipse – pijama
  • Cal – elipse – dinamite
  • Champanha – criança – estudante

São masculinos:

O lança-perfume

O dó

O telefonema

O clã

O eclipse

O pijama

O champanha

São femininos:

A criança

A cal

A elipse

A dinamite

São substantivos de dois gêneros:

O sósia, a sósia

O doente, a doente

O diabetes, a diabetes

O estudante, a estudante


50) Qual o superlativo de nobre, pobre, doce, amável, sagrado?

Nobre: nobilíssimo ou nobríssimo

Pobre: paupérrimo ou pobríssimo

Doce: dulcíssimo ou docíssimo

Amável: amabilíssimo

Sagrado: sacratíssimo


51) O plural de vice-rei, porta-estandarte, navio-escola e baixo-relevo é:

vice-rei: vice-reis, pois vice é palavra invariável.

porta-estandarte: porta-estandarte, pois porta é verbo, e estandarte, substantivo.

navio-escola: navios-escola.

baixo-relevo: baixos-relevos, pois baixo é adjetivo, e relevo, substantivo.


52) Especifique o que estiver totalmente correto quanto ao grau:

  • Cruíssimo é o grau superlativo de cruel e de cru.
  • Muitas vezes o diminutivo tem valor depreciativo: mãezinha, papelucho, rapazelho, casulo, camisola.
  • Deixaram de ter valor de grau aumentativo ou diminutivo: portão, cordel, cafezinho, mocinho, pequenininho.
  • Em linguagem precisa são aceitáveis as expressões mais paralelo que, mais oval, redondíssimo.
  • Em todas as alternativas há erro.
 Cruíssimo: é o superlativo de cru. O de cruel é crudelíssimo ou cruelíssimo.

Muitos diminutivos têm valor depreciativo. Por exemplo: professorzinho. Nenhum dos apresentados, porém, tem esse valor.

Portão, cordel, cafezinho e mocinho deixaram de ter valor de aumentativo ou de diminutivo, mas pequenininho, não.

As expressões apresentadas não são aceitáveis em linguagem precisa.

Em todas as alternativas, portanto, há erro.


53) Adjetivo no grau superlativo relativo ocorre em:

  • Acrescento que nada mais bonito existe do que um barco a vela.
  • E havia também as casas dos pobres do outro lado, construções muito admiráveis no ar.
  • O milagre da pobreza é sempre o mais novo e o mais cálido de todos os milagres.
  • O maior barco a vela seguia o caminho invisível do vento.
  • O domingo se aquietara quando passou zunindo um automóvel vermelho.

Há dois graus superlativos:

Absoluto: que pode ser sintético – por meio de sufixo (-íssimo, -ílimo, -érrimo) ou por advérbio (muito). Ex.: Ele é inteligentíssimo. Ele é muito inteligente

Relativo: que pode ser de inferioridade: o menos ou de superioridade: o mais. Ex.: Ele é o menos inteligente. Ele é o mais inteligente.

Há, portanto, superlativo relativo em Acrescento que nada mais bonito existe do que um barco a vela.


54) Os plurais álcoois, caracteres e anões respectivamente de álcool, caráter e anão são certos?

Álcool: O Volp, nosso documento oficial, registra dois plurais: alcoóis e álcoois.

Caráter: caracteres

Anão: anãos e anões


55) Uso de adjetivos:

  • Redação sem mácula: redação ________________
  • Argumento sem defesa: argumento _________________
  • Casa não habitada: casa ______________________
  • Amigo sem habilidade: amigo ___________________

Sem mácula: imaculada

Sem defesa: indefensável

Casa não habitada: inabitada

Amigo sem habilidade: inábil


56) Assinale a opção em que ambos os termos não admitem flexão de gênero:

  • Inglesa pálida
  • Jovem leitor
  • Alguns mestres
  • Semelhante criatura
  • Moça ideal

Inglesa pálida – inglês pálido

Jovem leitor – jovem leitora

Alguns mestres – algumas mestras

Semelhante criatura – semelhante criatura

Moça ideal – moço ideal


57) Em qual alternativa uma palavra apresenta erro de flexão?

  • Portas-bandeira, mapas-múndi
  • Salvos-condutos, papéis-moeda
  • Salários-família, vice-diretores
  • Guarda-civis, afro-brasileiros
  • Mãos-de-obra, obras-primas

Há duas palavras com erro de flexão: portas-bandeira e  guarda-civis. O adequado é porta-bandeiras e  guardas-civis.

Siga o Gramática no Twitter