A presidenta. – Gramática On-line
Aberta as inscrições…
9 de julho de 2014
Pronúncia do R
9 de julho de 2014

A presidenta.

Pergunta:
A afirmação “No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendigar é mendicante…
Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade. Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte.” ? Se positivo, inexiste o verbete PRESIDENTA na Língua Portuguesa?

 

Resposta:
Certíssima essa teoria acerca dos particípios, porém a Língua não é ‘engessada’, não se estagna no tempo. Em algum momento na história de nosso idioma, criou-se o substantivo feminino “presidenta“, como também em algum momento se criou o feminino substantivado de governante, a “governanta“, sobre o qual ninguém tece comentário algum; ninguém diz que esse substantivo não existe. Elegeram a presidenta como o problema.

 

O substantivo presidenta sempre existiu. Não foi inventado com a eleição de Dilma para a Presidência da República.

 

Os dicionários Houaiss, Aurélio e Priberam, além do Volp, o documento oficial de nosso idioma, editado pela Academia Brasileira de Letras, a responsável pelo Formulário Ortográfico da Língua Portuguesa no Brasil, registram o substantivo feminino “presidenta“, cujo significado é “mulher que preside; mulher que se elege para a presidência de um país”; e também “esposa do presidente”.

 

O vocábulo “presidenta“, portanto, existe e pode ser usado!