Atende-vos ao que vos for pedido. – Gramática On-line
Quite, anexo e incluso
30 de maio de 2014
Vai haver a Copa.
10 de junho de 2014

Atende-vos ao que vos for pedido.

Um internauta atento à gramática normativa enviou-me um e-mail perguntando-me se determinada frase estava adequada ao padrão culto da nossa língua. Veja a sua pergunta:

“Olá, professor Dílson, necessito que tire uma dúvida sobre o verbo ater-se. Esclareça-me onde está o erro da frase abaixo. Qual a forma verbal que devo usar?

Atenhai-vos ao que vos for pedido.”

Muito bem. Vamos à resposta:

Quando o verbo indicar pedido, conselho, ordem ou apelo, será conjugado no modo imperativo. Este modo se conjuga da seguinte maneira:

Pedido, conselho, ordem ou apelo afirmativos destinados às segundas pessoas (tu e vós): as formas verbais são idênticas às do presente do indicativo, retirando-se a letra s da estrutura verbal. O presente do indicativo é identificado por meio da expressão Todos os dias….

Pedido, conselho, ordem ou apelo afirmativos destinados às pessoas você, vocês – ou a qualquer pronome de tratamento (senhor, senhora, senhorita, Vossa Excelência…) – e à primeira pessoa do plural (nós): as formas verbais são idênticas às do presente do subjuntivo, tempo que identificamos por meio da expressão Espero que….

Pedido, conselho, ordem ou apelo negativos destinados a qualquer pessoa: as formas verbais são idênticas às do presente do subjuntivo.

Por exemplo, o verbo cantar:

Imperativo afirmativo:

Todos os dias tu cantas; retira-se a letra s: Canta aquela canção que só tu sabes;

Todos os dias vós cantais; retira-se a letra s: Cantai aquela canção que só vós sabeis;

Espero que você cante: Cante aquela canção que só você sabe;

Espero que nós cantemos: Cantemos aquela canção que só nós sabemos;

Espero que vocês cantem: Cantem aquela canção que só vocês sabem.

Imperativo negativo:

Espero que tu cantes: Não cantes aquela canção que tu não sabes;

Espero que você cante: Não cante aquela canção que você não sabe;

Espero que nós cantemos: Não cantemos aquela canção que nós não sabemos;

Espero que vós canteis: Não canteis aquela canção que vós não sabeis;

Espero que eles não cantem: Não cantem aquela canção que vocês não sabem.

A única exceção está no imperativo afirmativo para as segundas pessoas do verbo ser: Sê tu; Sede vós.

O verbo apresentado (ater-se) é derivado do verbo ter, por isso tem as mesmas terminações que este: eu tenho / eu me atenho. Ele tem, então, a seguinte conjugação no presente do indicativo: Eu atenho-me, tu aténs-te, ele atém-se, nós atemo-nos (As formas verbais terminadas em –mos seguidas de nos perdem o s.), vós atendes-vos, eles atêm-se.

No presente do subjuntivo: Que eu me atenha, tu te atenhas, ele se atenha, nós nos atenhamos, vós vos atenhais, eles se atenham. (A palavra “que” atrai os pronomes oblíquos átonos (me, te, se, nos, vos) para antes do verbo)
O imperativo afirmativo desse verbo e de todos os derivados de ter, então, tem a seguinte conjugação, já usando a frase apresentada:

“Atém-te ao que te for pedido”.
– “Atenha-se ao que lhe for pedido”.
– “Atenhamo-nos ao que nos for pedido”.
– “Atende-vos ao que vos for pedido”.
– “Atenham-se ao que lhes for pedido”.

A resposta à pergunta, então, é a seguinte:

– “Atende-vos ao que vos for pedido”.

Obs.: A estrutura verbal Atende-vos é paroxítona, ou seja, a sílaba tônica é TEN. Nenhuma ligação tem essa estrutura verbal com o verbo atender.