Dílson Catarino – Página: 14 – Gramática On-line
30 de julho de 2014

Irei a São Paulo = Irei para São Paulo?

É muito comum os estudantes do Ensino Médio julgarem que as preposições a e para têm os mesmos usos já que em alguns casos isso é verdadeiro, como em comprar algo a alguém ou comprar algo para alguém. Isso, porém, não ocorre com muitos verbos; a maioria, aliás, que exige a preposição a não admite a preposição para.
28 de julho de 2014

Já requereu o passaporte?

Alguns verbos trazem muitas dificuldades aos estudantes e estudiosos da Língua Portuguesa. A maioria dos verbos é regular, ou seja, não sofre mudanças em sua conjugação; os irregulares e os anômalos, porém, sofrem-nas; e os defectivos não têm a conjugação completa.
26 de julho de 2014

Após o desfile acontecerá o Baile Popular, durante o qual haverá a premiação dos blocos

Na frase apresentada, já há as devidas correções para que o leitor não tenha, à primeira vista, a impressão errônea de que o inadequado possa ser o conveniente. O que li num site destinado a quem deseja conhecer novos lugares e se aventurar nas diversões oferecidas foi o seguinte: Após o desfile acontece o Baile Popular, onde acontece a premiação dos blocos.
26 de julho de 2014

Foi assistido é inadequado.

Um participante de um desses programas televisivos de esportes falou a seguinte frase: “Deve-se respeitar um evento que foi assistido pelo mundo todo!” Muitos já utilizaram frases semelhantes a essa sem perceber que é inadequada ao padrão culto da língua.
26 de julho de 2014

Felipão pode pedir que Neymar force o segundo cartão amarelo.

Numa publicação jornalística, havia a seguinte frase: “Felipão pode pedir para Neymar forçar segundo cartão contra o México”. Observe, porém, que essa frase foi reescrita de maneira diferente no título de nossa coluna
25 de julho de 2014

Havia 22 anos que o Londrina não conquistava o Campeonato Paranaense.

Esses dias, num jornal televisivo, o apresentador comunicou a morte do filho do cantor Erasmo Carlos e disse, no decorrer da notícia, a seguinte frase: “Ele estava internado há uma semana”. Esse uso do verbo haver, bastante comum em nosso país, inclusive nos meios mais cultos, está inadequado à língua-padrão.
24 de julho de 2014

Eu não premeio quem não merece que o premeiem.

Essa frase soa estranhissimamente aos ouvidos brasileiros, pois estamos acostumados com o uso regular dos verbos terminados em -iar, apesar de sabermos que existem casos especiais, como odiar, cuja conjugação na primeira pessoa do singular do presente do indicativo é Eu odeio. Todos sabemos disso. Mas Eu premeio ... que o premeiem? Que esquisitice é essa?
24 de julho de 2014

Vícios de linguagem

Há um tempo denominado de pretérito perfeito composto do indicativo, que indica ação ocorrida ultimamente. Ouça a explicação do Prof. Dílson Catarino na CBN Londrina.