Dílson Catarino – Página: 35 – Gramática On-line
2 de maio de 2014

A conjunção se

Em uma questão de concurso ficou a dúvida na substituição da conjunção se por enquanto. Esta é a frase: - Se a população do planeta se multiplicou por quatro no século passado, a atividade econômica cresceu dez vezes somente entre 1950 e 2000. Esta substituição é correta?
30 de abril de 2014

Bata a porta com menos força.

Nós, brasileiros, elegemos algumas palavras como carrascos da ignorância. “Menos” é uma delas. Qualquer cidadão com um pouco de cultura sabe que o vocábulo “menas” não deve ser utilizado por ser inadequado ao padrão culto da língua. Quando alguém a utiliza perto de quem a conhece pode até ser vítima de bullying intelectual, se é que isso existe!
30 de abril de 2014

Bastantes alunas estão bastante confusas.

E o vocábulo “bastante”? Quem sabe usá-lo adequadamente? As regras para seu uso são bastante simples, mas trazem bastantes dificuldades. A começar pelos significados.
30 de abril de 2014

É meio-dia e meia.

No dia a dia, é muito comum ouvirmos cidadãos dizendo a hora a um ou outro. Certamente, você, caro leitor, já ouviu uns dizendo “meio-dia e meio” e outros, “meio-dia e meia”. Qual das duas formas é a adequada gramaticalmente?
30 de abril de 2014

Alugam-se casas.

Certamente a maioria dos que passaram pelo Ensino Fundamental já ouviu essa frase em sala de aula. É a que muitos professores usam para exemplificar o uso do pronome "se“ denominado de partícula apassivadora, ou pronome apassivador, que indica que o elemento paciente – o que sofre a ação verbal – é o sujeito do verbo, ou seja, “alugam-se casas” é o mesmo que “casas são alugadas”, por isso o verbo deve ficar no plural. É a regra básica de concordância verbal
29 de abril de 2014

A maioria dos arrastões em restaurantes é após as 22h.

Lendo um jornal de circulação nacional, deparei com a frase apresentada, que certamente será julgada estranha por muitos leitores interessados pela Gramática da Língua Portuguesa. Ela, porém, está perfeitamente adequada à língua-padrão.
29 de abril de 2014

Os estrondosos trompetistas que somente Cuba jamais produziu.

O Professor Virgílio Tomasetti Júnior escreveu um artigo intitulado “Cuba, Brasil e similares”, no qual havia a seguinte frase, tida por alguns como inadequada ao padrão culto de nosso idioma: “Sou apaixonado pelo mambo de Cachao, pela música camponesa e bela de Compay, Uchoa, Ferrer, Omara, Gonzales do piano e pelos estrondosos trompetistas que somente Cuba jamais produziu.”
29 de abril de 2014

A cidade reprova no teste da transparência (ou é reprovada?)

Num jornal da região havia a seguinte frase como manchete do dia: “A cidade reprova no teste da transparência”, acerca da Lei n° 12.527/11, que passou a vigorar naquela época. A Lei diz que os órgãos públicos têm de fornecer um sistema, denominado de Sistema de Informações ao Cidadão (SIC), para garantir a qualquer interessado a possibilidade de obter as mais variadas informações.