Dílson Catarino – Página: 37 – Gramática On-line
25 de abril de 2014

Salário-família ou salário família?

Antigamente, só se pluralizava o primeiro elemento dentre dois substantivos unidos por hífen em que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. O dicionário Aurélio, porém, desde a década de 1980, admite dupla pluralização.
25 de abril de 2014

Salário-família ou salário família?

Antigamente, só se pluralizava o primeiro elemento dentre dois substantivos unidos por hífen em que o segundo indique tipo ou finalidade do primeiro. O dicionário Aurélio, porém, desde a década de 1980, admite dupla pluralização.
25 de abril de 2014

Se ele propuser ou Se ele propor?

“Se ele propuser...”, pois, quando se iniciar oração por “se” ou por “quando”, focalizando a ação num futuro hipotético, o verbo estará conjugado no tempo denominado de futuro do subjuntivo. O verbo pôr e todos os verbos derivados dele, nesse tempo, têm a estrutura “...puser...”.
23 de abril de 2014

Ar-condicionado ou ar condicionado

As locuções em geral não são escritas com hífen. É o que prescreve o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Locução é todo “conjunto de palavras que equivalem a um só vocábulo, por terem significado, conjunto próprio e função gramatical única”
23 de abril de 2014

Usos do verbo no infinitivo

O infinitivo – verbo terminado em –ar, -er, ir - pode apresentar-se flexionado e não flexionado. Será denominado flexionado quando houver desinência verbal: -es, para a segunda pessoa do singular (tu); -mos, para a primeira pessoa do plural (nós); -des, para a segunda pessoa do plural (vós); -em, para a terceira pessoa do plural (eles, elas). A primeira (eu) e a terceira pessoa do singular (ele, ela) são representadas pelo infinitivo não flexionado
17 de abril de 2014

Espere um pouco. Vou lavar as mãos e já volto.

Quando digo “Vou lavar as mãos”, claro está que se trata de minhas mãos, e não das mãos de outrem. Da mesma maneira, quando digo “Vá lavar as mãos”, claro está que se trata das mãos da pessoa com quem estou falando, e não das de outra qualquer.
17 de abril de 2014

Verbo ressarcir; como usá-lo.

Li num artigo sobre determinado governo estadual brasileiro a seguinte frase: “O governo nunca ressarce os prejuízos decorrentes de seus erros”. A intenção do articulista foi dizer que não há indenização, compensação, reparo. O problema é que o verbo “ressarcir” é defectivo, ou seja, não é conjugado em todos os tempos e pessoas.
17 de abril de 2014

Chamar a atenção de alguém e chamar alguém à atenção

Cada uma dessas frases tem um significado específico. leia o texto.