A língua no dia a dia – Página: 16 – Gramática On-line
14 de março de 2014

Basta para mim ter Teté a meu lado.

Apesar de o Word querer corrigir a frase acima para “Custou para eu acreditar nela”, o uso de mim está adequado ao padrão culto da língua. O corretor do Word está equivocado.
14 de março de 2014

Ele não negoceia com qualquer um.

Segundo o último acordo ortográfico, os verbos ligados a substantivos que tenham as terminações átonas ia e io admitem dupla grafia nas formas rizotônicas. As terminações são átonas, e a sílaba anterior a elas é a tônica.
14 de março de 2014

As moças chegaram rápido à festa.

Adjetivo é a classe de palavras que modificam substantivos ou palavras substantivadas, como pronomes, atribuindo-lhes estado, qualidade ou modo de ser. Quando, por exemplo, se diz que o guepardo é o mamífero mais veloz do planeta, usa-se o adjetivo veloz para qualificar o substantivo mamífero, atribuindo-lhe uma qualidade.
14 de março de 2014

Intertexto x paródia

Segundo o dicionário Houaiss, intertexto é o “texto literário preexistente a outro texto e que é aproveitado, por absorção e transformação, na elaboração deste, ou que o influencia”
14 de março de 2014

Se você fosse sincera (…) Veja só que bom que era…

Nessa marchinha de carnaval, certamente os autores, Mário Lago e Roberto Roberti, se valeram do que denominamos de licença poética, que permite que compositores e poetas usem a linguagem despreocupada do dia a dia, desprezando a gramática normativa.
14 de março de 2014

Vem, jardineira! Vem, meu amor! / Não fiques triste que este mundo é todo teu.

“Oh! Jardineira, por que estás tão triste? / Mas o que foi que te aconteceu? / Foi a camélia que caiu do galho, / Deu dois suspiros e depois morreu. / Vem, jardineira! Vem, meu amor! / Não fiques triste que este mundo é todo teu. / Tu és muito mais bonita / Que a camélia que morreu.”
13 de março de 2014

Vendem-se apartamentos.

O pronome “se” fará o verbo ficar no singular quando este – o verbo – for indicador de qualidade (ser, estar, ficar, continuar...), ou quando estiver acompanhado de preposição (a, de, por, em..), ou ainda quando ele não tiver complemento algum.
13 de março de 2014

Faz cinco anos que escrevo para a Folha de Londrina.

O verbo “fazer” é verbo impessoal, ou seja, verbo que não tem sujeito. Isso ocorrerá quando ele indicar “fenômeno da natureza” ou “tempo decorrido”, tempo que ficou no passado.