Do H inicial e final – Gramática On-line
O alfabeto da Língua Portuguesa
1 de março de 2014
Da homofonia de certos grafemas consonânticos
1 de março de 2014

Do H inicial e final

1º) O h inicial emprega-se:

a) Por força da etimologia:

haver, hélice, hera, hoje, hora, homem, humor.

b) Em virtude da adoção convencional:

hã?, hem?, hum!

2º) O h inicial suprime-se:

a) Quando, apesar da etimologia, a sua supressão está inteiramente consagrada pelo uso:

erva, em vez de

herva; e, portanto,

ervaçal, ervanário, ervoso

(em contraste com

herbáceo, herbanário, herboso, formas de origem erudita);

b) Quando, por via de composição, passa a interior e o elemento em que figura se aglutina ao precedente:

biebdomadário, desarmonia, desumano, exaurir, inábil, lobisomem, reabilitar, reaver.

3º) O

h

inicial mantém-se, no entanto, quando, numa palavra composta, pertence a um elemento que está ligado ao anterior por meio de hífen:

anti-higiénico/ anti-higiênico, contra-haste, pré-história, sobre-humano.

4º) O h final emprega-se em interjeições:

ah! oh!