Educação a distância. – Gramática On-line
Também se refere ou Também refere-se?
9 de julho de 2014
Entre eu e tu ou Entre mim e ti?
9 de julho de 2014

Educação a distância.

 

 

Caro professor, o que é correto:

 

– Educação a distância ou à distância?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nas locuções adverbiais de modo, tempo e lugar femininas haverá o acento indicador de crase, a não ser que a expressão esteja em sentido genérico, não especificado.
O que ocorre com a frase apresentada é exatamente isso. O vocábulo distância está usado genericamente, por isso não há o uso do artigo a e consequentemente não há o acento indicador de crase:

– Estava à distância de 100m deles. (Com crase, pois a palavra distância está especificada)
– Seguia-o a distância. (Sem crase, porque não está especificada a distância)

A frase apresentada, portanto, não pode ter o acento indicador de crase, pois não há especificação:

 

– Educação a distância.

 

Modernamente, porém, alguns gramáticos e dicionários têm repensado isso e passado a aceitar tal acento principalmente quando a frase apresentar ambiguidade. Observe a seguinte frase, retirada de uma propaganda de ‘porteiro virtual’:

 

– O porteiro virtual vigia a distância.

 

Na frase apresentada, há uma pequena ambiguidade: alguns podem julgar que o porteiro virtual vigia aquela medida ou trecho – o que soaria ridículo; não o seria – ridículo – se houvesse uma especificação para a palavra distância:

 

– O porteiro virtual vigia a distância entre os prédios.

 

Nessa frase não haveria ambiguidade alguma. Naquela, existem os que a veem; o ideal, portanto, seria usar o acento, desrespeitando a regra vigente.

 

– O porteiro virtual vigia à distância.

 

A língua é dinâmica e sofre mudanças dia a dia. Muitas palavras e locuções desaparecem do nosso idioma por não serem mais usadas pela população, como o particípio regular do verbo escrever – escrevido; outras são criadas, como o verbo deletar, que inexistia até a publicação da edição de 1999 do Volp; algumas se modificam por força do uso, como ocorreu há alguns anos com a locução “à vista“, que não deveria ter o acento indicador de crase, mas já é aceito por boa parte dos gramáticos; e outras se modificam por criarem duplo sentido em seu uso, como ocorre com “a distância“/”à distância“.