Foram eles quem falou ou falaram? – Gramática On-line
Tem dúvidas?
Tem dúvidas em Língua Portuguesa? Em?
14 de maio de 2019
Portrait of young woman in curlers talking on the phone and ironing clothes
Ela fala demais. Ou seria “de mais”?
21 de maio de 2019

Foram eles quem falou ou falaram?

Foram eles quem falou.

Foram eles quem falou.

Um desafio gramatical:


Todos os cidadãos estudiosos da Língua Portuguesa sabem que o pronome relativo “quem” jamais exercerá a função de sujeito. Como explicar, então, a adequação de frases como “Foi ele quem me falou de você”?


Vamos à explicação:


Além dos pronomes relativos “que, quem, qual, onde, quanto, cujo”, há os pronomes relativos indefinidos “onde” e “quem”, que são usados sem elemento antecedente.
O pronome relativo indefinido “quem” equivale a “a pessoa que / as pessoas que”; “onde”, a “o lugar em que”. Por exemplo:
– Não vi quem jogou as pedras.
Essa frase equivale a esta:
– Não vi a pessoa que jogou as pedras.

 
– Não sei onde minha carteira está.
Essa equivale a esta:
– Não sei o lugar em que minha carteira está.


Quando “quem” for pronome relativo indefinido poderá exercer a função de sujeito, como nos exemplos apresentados. E o verbo terá de ficar na terceira pessoa do singular, apesar de há muito existirem gramáticos que aceitem a concordância com o elemento anterior ao “quem”. Não há, porém, base sintática para essa concordância. Observe:
– Foram eles quem jogou a pedra.
Basta inverter as orações para perceber que o verbo tem de ficar no singular:
– Quem jogou as pedras foram eles.

– As pessoas que jogaram as pedras foram eles.

– Foram eles quem jogou as pedras.

– Foram eles as pessoas que jogaram as pedras.


Portanto, o pronome relativo “quem” não exercerá a função de sujeito quando houver elemento antecedente. Não se deve usar, por exemplo, “A pessoa quem me falou de você foi ele”, e sim “A pessoa que me falou de você foi ele”.

 
Quando, porém, for pronome relativo indefinido, poderá exercer a função de sujeito, e o verbo terá de ficar no singular, apesar de haver quem admita a concordância com o elemento anterior a ele:
– Foi ele quem me falou de você.

– Quem me falou de você foi ele.
Em ambos os períodos, “quem” é pronome relativo indefinido que exerce a função de sujeito de “falar”.