Funções da linguagem – Gramática On-line
Denotação x conotação
3 de março de 2014
Fundamentos da Análise Sintática
7 de março de 2014

Funções da linguagem

O emissor, ao transmitir uma mensagem, sempre tem um objetivo: informar algo, demonstrar seus sentimentos, convencer alguém a fazer algo, entre outros; consequentemente, a linguagem passa a ter uma função, que são as seguintes:

Função Referencial
Função Conativa
Função Emotiva
Função Metalinguística
Função Fática
Função Poética

Obs.: Em um mesmo contexto, duas ou mais funções podem ocorrer simultaneamente: uma poesia em que o autor discorra sobre o que ele sente ao escrever poesias tem as linguagens poética, emotiva e metalinguística ao mesmo tempo.

Função Referencial

Quando o objetivo do emissor é informar, ocorre a função referencial, também chamada de denotativa ou de informativa. São exemplos de função denotativa a linguagem jornalística e a científica. Por exemplo:

– Numa cesta de vime há um cacho de uvas, duas laranjas, dois limões, uma maçã verde, uma maçã vermelha e uma pera.

O texto acima tem por objetivo informar o que contém a cesta, portanto sua função é referencial.

Função Conativa

Ocorre a função conativa, ou apelativa, quando o emissor tenta convencer o receptor a praticar determinada ação. É comum o uso do verbo no Imperativo. Por exemplo:

– Compre aqui e concorra a este lindo carro

É uma tentativa do emissor de convencer o receptor a praticar a ação de comprar ali.

Função Emotiva

Quando o emissor demonstra seus sentimentos ou emite suas opiniões ou sensações a respeito de algum assunto ou pessoa, acontece a função emotiva, também chamada de expressiva. Por exemplo:

– Nós o amamos muito!
Função Metalinguística

É a utilização do código para falar dele mesmo: uma pessoa falando do ato de falar, outra escrevendo sobre o ato de escrever, palavras que explicam o significado de outra palavra. Por exemplo:

– Escrevo porque gosto de escrever. Ao passar as ideias para o papel, sinto-me realizado…
Função Fática

A função fática ocorre quando o emissor quebra a linearidade de sua comunicação, a fim de observar se o receptor o entendeu. São perguntas como

não é mesmo? você está entendendo? cê tá ligado? ouviram? ou frases como

alô! oi.

Função Poética

É a linguagem das obras literárias, principalmente das poesias, em que as palavras são escolhidas e dispostas de maneira que se tornem singulares. Por exemplo:

CLÍMAX

No peito a mata
aperta o pranto
do olhar do louco
pra meia-lua.

O clímax da noite,
escorrendo orvalho como estrelas,
refletindo nas águas
da cachoeira gelada.

Cabeça caída, cabelos escorridos,
pelos eriçados pela emoção nativista.

Segurem as florestas, mãos fortes,
decididas!

Ficar o vazio é não ter a noite
é não ter o clímax.

O clímax da vida!

(Dílson Catarino)