Aposto e Vocativo – Gramática On-line

Tudo o que você precisa saber sobre
Gramática está aqui!

Termos acessórios da oração
9 de agosto de 2018
Adjunto adverbial
20 de junho de 2018

Aposto e Vocativo

Aposto:

É o termo que explica, desenvolve, identifica ou resume outro termo da oração, independentemente da função sintática que este exerça. Há quatro tipos de aposto:


Aposto Explicativo:

O aposto explicativo identifica ou explica o termo anterior. É separado do termo que identifica por vírgulas, dois pontos, parênteses ou travessões.

Terra Vermelha, romance de Domingos Pellegrini, conta a história da colonização de Londrina.


Oração Subordinada Adjetiva Explicativa:

É a oração que funciona como aposto explicativo. É sempre iniciada por um pronome relativo e, da mesma maneira que o aposto explicativo, é separada por vírgulas, dois pontos, parênteses ou travessões. É mais comum o uso de vírgulas.

Terra Vermelha, que é um romance de Domingos Pellegrini, conta a história da colonização de Londrina.



Oração Subordinada Substantiva Apositiva:

Oração Subordinada Substantiva Apositiva é a outra oração que funciona como aposto. A função dela, porém, é complementar o sentido de uma oração anterior, que esteja completa sintaticamente.

Ela só quer uma coisa. Essa frase está completa sintaticamente, pois tem sujeito-verbo-objeto, porém incompleta quanto ao sentido, portanto há de se colocar algo que complete o sentido dessa frase. Por exemplo:

Ela só quer uma coisa: que sua presença seja notada. Eis aí a oração subordinada substantiva apositiva. Não confunda com a oração subordinada adjetiva explicativa, que também funciona como aposto, mas que tem como função complementar o sentido de um substantivo anterior, e não da oração anterior. Por exemplo:

A vaca, que para os hindus é um animal sagradopara nós é sinônimo de churrasco. Eis aí a oração subordinada adjetiva explicativa.


Aposto Especificador:

O aposto especificador individualiza ou especifica um substantivo de sentido genérico, sem pausa. Geralmente é um substantivo próprio que individualiza um substantivo comum.

O professor José mora na Rua Santarém, na cidade de Londrina. Nesta oração, José, Santarém e Londrina são apostos especificadores uma vez que especificam os substantivo comuns professor, Rua e cidade.


Aposto Enumerador:

O aposto enumerador é uma sequência de elementos que desenvolve uma ideia anterior.

O pai sempre lhe dava três conselhos: nunca empreste dinheiro a ninguém, nunca peça dinheiro emprestado a ninguém e nunca fique devendo dinheiro a ninguém. 


O escoteiro deve carregar consigo seu material: mochila, saco de dormir e barraca.



Aposto Resumidor:

O aposto resumidor é usado para resumir termos anteriores, geralmente sujeito composto. É representado, geralmente, por um pronome indefinido.

Alunos, professores, funcionários, ninguém deixou de lhe dar os parabéns.




Vocativo:

O vocativo é um termo independente que serve para chamar por alguém, para interpelar ou para invocar um ouvinte real ou imaginário.

Teté, dê-me um beijo!

.

– Ó menina, venha logo.

.

Esse “Ó” ( ou “Ô”) é uma interjeição vocativa, termo que se liga ao vocativo sem vírgula. Ela pode ser usada junto a qualquer vocativo. Sua função é dar mais ênfase na fala.

.

Não confunda as interjeições  vocativas “Ó” e “Ô” com a interjeição “Oh!” ou “Oh,” – com ponto de exclamação e sem vírgula ou sem ponto de exclamação e com vírgula.

.

A interjeição “Oh!” – ou “Oh,” – designa admiração, surpresa, espanto ou dor, tristeza ou ainda repreensão, advertência ou censura.

Pode também ser usada com um vocativo, porém com entonação de admiração, surpresa, espanto, tristeza, dor, repreensão, advertência ou censura. Por exemplo:

.

  • “Renata, venha cá”.  Frase dita em tom normal, sem ênfase.
  • “Ó Renata, venha logo!” ou “Ô Renata, venha logo!” Frase dita com mais ênfase.
  • “Oh! Renata, quantas vezes terei de chamá-la?” ou “Oh, Renata, quantas vezes terei de chamá-la?” Frases ditas com mais ênfase ainda, num tom de repreensão.