Pronomes indefinidos – Gramática On-line

Tudo o que você precisa saber sobre
Gramática está aqui!

Pronomes interrogativos
19 de novembro de 2018
Pronomes demonstrativos
19 de novembro de 2018

Pronomes indefinidos

Os pronomes indefinidos referem-se à terceira pessoa do discurso de uma maneira vaga, imprecisa, genérica.

 

São eles: alguém, ninguém, tudo, nada, algo, cada, outrem (pronuncia-se ôutrem), mais, menos, demais, algum, alguns, alguma, algumas, nenhum, nenhuns, nenhuma, nenhumas, todo, todos, toda, todas, muito, muitos, muita, muitas, bastante, bastantes, pouco, poucos, pouca, poucas, certo, certos, certa, certas, tanto, tantos, tanta, tantas, quanto, quantos, quanta, quantas, um, uns, uma, umas, qualquer, quaisquer além das locuções pronominais indefinidas cada um, cada qual, quem quer que, todo aquele que, tudo o mais

 

 Usos de alguns pronomes indefinidos

 

Todo:

 

O pronome indefinido todo deve ser usado com artigo, se significar inteiro e o substantivo à sua frente o exigir; caso signifique cada ou todos não terá artigo, mesmo que o substantivo o exija.

 

– Todo dia telefono a ela. (Todos os dias)

– Fiquei todo o dia em casa. (O dia inteiro)

– Todo ele ficou machucado. (Ele inteiro, mas a palavra ele não admite artigo)

 

 

 

 

Todos, todas:

 

Os pronomes indefinidos todos e todas devem ser usados com artigo se o elemento à sua frente o exigir.

 

– Todos os colegas o desprezam.
– Todas as meninas foram à festa. 

– Todos vocês merecem respeito. (Vocês é um pronome de tratamento que não admite o uso de artigo.)

 

Obs.: Usa-se o artigo entre todos e um numeral somente se este acompanhar um substantivo. Se não houver o substantivo, não haverá também o artigo.

 

– Todos os três professores foram homenageados pelos alunos.
– Vi-os felizes a todos quatro.
 (Machado de Assis)

 

 

Tudo:

 

O pronome indefinido tudo não deve ser usado para se referir a pessoas ou a animais. Em seu lugar, usa-se todos ou todas.

 

– Está vendo aquela turma? São todos ex-presidiários.

 

Algum:

 

O pronome indefinido algum tem sentido afirmativo quando usado antes do substantivo; passa a ter sentido negativo quando estiver depois do substantivo.

 

– Amigo algum o ajudou. (Ninguém)
– Algum amigo o ajudará. (Alguém)

 

Nenhum:

 

O pronome indefinido nenhum pode ser usado para reforçar uma negativa:

 

– Não há nenhuma dúvida quanto a isso.

 

O pronome nenhum, quando se referir a termo no plural, também se pluraliza:

 

– Nenhuns olhos são tão belos.

 

Nenhum generaliza; quando se referir à unidade, usa-se nem um:

 

– Não carrego nem um real comigo.

– Nem um amigo (sequer) me ajudou.

 

 

Certo:

 

A palavra certo será pronome indefinido quando anteceder substantivo e será adjetivo quando estiver posposto a substantivo.

 

– Certas pessoas não se preocupam com os demais.
– As pessoas certas sempre nos ajudam.

 

Qualquer:

 

O pronome indefinido qualquer não deve ser usado em sentido negativo. Em seu lugar, deve-se usar algum, posteriormente ao substantivo, ou nenhum.

 

– Ele entrou na festa sem problema algum.
– Ele entrou na festa sem nenhum problema.
– Qualquer dia desses irei à sua casa.

 

Cada:

 

O pronome indefinido cada tem função adjetiva, ou seja, sempre acompanha um substantivo ou uma palavra substantiva.

– Há melões que custam U$100,00 cada um.

– A cada trinta dias, revisamos o conteúdo.

 

Bastante:

 

O pronome indefinido bastante concorda com o termo a que se refere:

– Há bastantes homens honestos.

 

Se bastante significar que basta, que satisfaz ou suficiente será adjetivo:

– Há bastante carne para hoje.

 

Outrem:

 

O pronome indefinido outrem refere-se somente a pessoas e tem uso exclusivamente substantivo, ou seja, não acompanha substantivo algum, mas sim o substitui.

– Não eram suas as poesias, mas de outrem.