Regência Verbal – Gramática On-line

Tudo o que você precisa saber sobre
Gramática está aqui!

Verbos com predicação oscilante
20 de junho de 2018
Predicação Verbal
20 de junho de 2018

Regência Verbal

Regência é a parte da Gramática que estuda as relações entre os termos da oração, verificando se um termo serve de complemento a outro.

O termo que exige o complemento é chamado de regente, enquanto o complemento é chamado de regido.

Antes de estudarmos a regência dos verbos mais importantes, há algumas considerações a serem feitas:

 

01) Os únicos verbos que admitem transformação para a voz passiva são os verbos transitivos diretos e os verbos obedecer, pagar e perdoar. Por exemplo:

 

O rapaz aspirou o perfume da namorada.

O perfume da namorada foi aspirado pelo rapaz.

 

O motorista não obedeceu ao sinal do policial.

O sinal do policial não foi obedecido pelo motorista.

 

02) Não se deve dar a dois verbos de regências   diferentes um só complemento; cada verbo tem seu próprio complemento, portanto é errado dizer “conheci e me apaixonei por ela”, pois o verbo conhecer não rege  preposição  e o verbo apaixonar-se rege a preposição por; corrigindo a frase teremos:

 

Conheci a garota e por ela me apaixonei.  ou

Apaixonei-me pela garota que conheci.

 

03) Os verbos transitivos diretos pedem os pronomes o, a, os, as e suas variantes* como complementos, e os verbos transitivos indiretos que regem a preposição a, os pronomes lhe, lhes. Por exemplo:

 

Paguei ao Banco.             Tranquei a porta.

Paguei-lhe.                     Tranquei-a.

 

* Variantes: se o VTD terminar em M, ÃO ou ÕE, os pronomes o, a, os, as são substituídos por no, na, nos, nas. Se terminar em R, S ou Z, essas terminações desaparecem, e os pronomes são substituídos por lo, la, los, las. Por exemplo:

Tranquem-na.

Depois de trancá-la, saiu.

 

Há verbos que, mesmo sendo transitivos indiretos que regem a preposição “a”, não admitem o uso de “lhe, lhes”. Com estes verbos sé se usa “ele, ela, eles, elas”

 

Assistir = ver, presenciar

Visar = almejar, objetivar, desejar, ter como ambição

Aspirar = almejar, objetivar, desejar, ter como ambição

Anuir = consentir, estar de acordo

Responder com um complemento só

Referir-se

Aludir = referir-se

 

04) SUJEITO ACUSATIVO:

 

Podem os pronomes me, te, se, o, a, os, as, nos e vos desempenhar a função de sujeito de um infinitivo ou de um gerúndio, que com ele constitui uma oração substantiva com função de objeto direto (oração subordinada substantiva objetiva direta). Ocorre sujeito acusativo principalmente com os verbos fazer, mandar, deixar (verbos causativos), ver, sentir, ouvir (verbos sensitivos). Exemplos:

Deixei-a entrar atrasada.

Mandaram-me buscar a pasta de documentos.

 

Obs.: No livro Gramática da Língua Portuguesa Padrão, de Amini Boainain Hauy, há também o registro do pronome “lhe” como sujeito acusativo.

 

  1. VERBOS CUJA MUDANÇA DE TRANSITIVIDADE IMPLICA MUDANÇA DE SENTIDO

 

01) ASSISTIR:

a) no sentido de ver, presenciar, estar presente é VTI com a prep. a:

Rômulo assiste a todos os jogos.

b) no sentido de auxiliar, prestar ajuda ou assistência tanto pode ser VTD como VTI com a prep. a.

Ele sempre assistiu os / aos filhos.

c) no sentido de caber, pertencer, ter direito é VTI, com a prep. a.

Assiste ao associado o direito de participar das assembleias.

d) no sentido de morar é VI, sendo acompanhado de adjunto adverbial de lugar introduzido pela preposição em:

Assisto em Londrina há 61 anos.

 

02) ASPIRAR:

a) no sentido de sorver, inspirar é VTD.

Gosto de aspirar o ar puro do campo.

b) no sentido de almejar, objetivar, desejar, ter como ambição é VTI com a prep. a, a não ser que seja acompanhado de outro verbo no infinitivo; nesse caso, a preposição é facultativa.

Os professores aspiram à melhoria do nível de ensino.

Os professores aspiram melhorar (ou “a melhorar”) o nível de ensino.

 

03) VISAR:

a) no sentido de mirar, fazer pontaria é VTD:

O atirador visou o alvo, mas errou.

b) no sentido de dar visto também é VTD:

O gerente visou o cheque do correntista.

c) no sentido de almejar, objetivar, desejar, ter como ambição é VTI com a prep. a, a não ser que seja acompanhado de outro verbo no infinitivo; nesse caso, a preposição é facultativa

Os alunos estudiosos visam a vagas em cursos difíceis.

Os professores visam melhorar (ou “a melhorar”) o nível de ensino.

 

04) AGRADAR

a) No sentido de acariciar, fazer carinho, mimar é VTD:

A garota agradava o gatinho o tempo todo.

b) No sentido de satisfazer, ser agradável e VTI com a prep. a:

A contratação daquele atacante não agradou à torcida.

 

05) CHAMAR:

a) No sentido de considerar, dar qualidade a alguém, atribuir um nome, apelidar, tachar é, indiferentemente, VTD ou VTI com a prep. a:

Chamei-o mal-educado.

Chamei-lhe mal-educado.

 

Em ambos os casos, pode-se usar a preposição de:

Chamei-o de mal-educado.

Chamei-lhe de mal-educado.

 

b) No sentido de repreender é transitivo direto e indireto:

Chamei-o à atenção.

 

c) No sentido de convocar, fazer vir, atrair a atenção, solicitar a presença é VTD:

 

A diretoria chamava os pais de Júlio constantemente ao colégio.

 

Nota: no sentido de invocar rege a preposição por:

Em desespero, chamava pelos deuses.

 

06) QUERER

a) No sentido de desejar é VTD:

Que criança não quer um sorvete?

 

b) No sentido de estimar, amar é VTI, com a prep. a:

Chorava desesperada, pois queria muito ao namorado, que acabara de falecer.

 

07) CUSTAR:

a) No sentido de ter determinado preço ou valor é VI, sendo acompanhado de adjunto adverbial de preço:

O automóvel custou R$250.000,00.

 

b) No sentido de ser difícil, penoso é transitivo indireto, regendo a preposição a:

Sempre lhe custou ser honesto.

Custou a ele ser honesto.

 

Custa a mim aceitar isso.

Custa-me aceitar isso.

Obs.: Sempre haverá a preposição “a” diante da pessoa: (a mim = me; a ti = te; a ele, a ela, a você = lhe; a nós = nos; a vós = vos; a eles, a elas, a vocês = lhes)

Diante do que é penoso ou difícil, não há preposição alguma.

 

c) No sentido de causar, acarretar (trabalho, incômodo) é VTDI:

Sua irresponsabilidade custou grande prejuízo à família.

 

08) IMPLICAR

a) No sentido de dar a entender, fazer supor, pressupor é VTD:

As atitudes dele implicavam desonestidade.

b) No sentido de envolver, trazer como consequência, acarretar é VTD:

O divórcio implicou sofrimento para toda a família.

c) No sentido de envolver, comprometer VTDI, com a prep. em:

Implicaram o professor em atentado ao pudor.

d) No sentido de antipatizar é transitivo indireto, regendo a preposição com:

O pai de minha namorada implicava comigo.

 

09) PROCEDER

a) No sentido de dar início, fazer, executar, realizar é transitivo indireto, regendo a preposição a:

O árbitro procedeu ao jogo decisivo.

b) No sentido de derivar-se, ter origem é transitivo indireto, regendo a preposição de:

Suas atitudes procedem da má educação.

c) No sentido de ser decisivo, ser contundente, ter fundamento é intransitivo:

Suas declarações não procedem.

 

Agora estudaremos verbos que não têm mudanças em sua regência.

 

 II.) VERBOS  INTRANSITIVOS (VI)

 

01) IR, VIR, VOLTAR, CHEGAR, CAIR, COMPARECER, DIRIGIR-SE  …:

Prep. a = destino.

Prep. de = procedência , origem.

Fui a Cornélio Procópio, visitar um amigo.

Acabei de chegar de Rondônia.

 

02) MORAR, RESIDIR

 

Esses verbos têm o adjunto adverbial de lugar introduzido pela preposição em. Por exemplo:

Sempre residi em Londrina.

 

03) LEVANTAR-SE, SENTAR-SE, DEITAR-SE:

São verbos pronominais.

 

Levantei-me disposto a contar tudo para Eleonora.

 

III.) VERBOS  TRANSITIVOS  DIRETOS (VTD)

 

01) COMPARTILHAR:

É VTD, a não ser que signifique participar de; nesse caso será VTI, com a prep. de:

Compartilhei sua indignação com a expulsão.

Eles compartilharam de nossa alegria.

 

02) NAMORAR:

É VTD, mas, modernamente, já se admite o uso da prep. com

Diomar namorou (com) Patrícia quatro anos.

 

03) USUFRUIR / DESFRUTAR:

São VTDs, mas, modernamente, já se admite o uso da prep. de

Sempre desfruto (de) minhas férias em hotéis de luxo.

 

IV.) VERBOS  TRANSITIVOS  INDIRETOS (VTI)

 

01) SIMPATIZAR  /  ANTIPATIZAR:

VTI, com a prep. com

Esses verbos não são pronominais.

Sempre simpatizei com seu irmão.

 

02) CONSISTIR:

VTI, com a prep. em.

Trabalhar consiste em enobrecer-se.

 

03) OBEDECER  /  DESOBEDECER:

VTI, com a prep. a:

Sempre obedeci aos preceitos religiosos.

 

04) SOBRESSAIR(-se):

VTI, com a prep. em.

João é um jovem que (se) sobressai em todas as matérias.

 

05) TORCER ( desejar a vitória, fazer torcida.)

VTI, com a prep. por ou para + verbo.

Sempre torci por você.

Sempre torci para você vencer.

 

V.) VERBOS TRANSITIVOS DIRETOS E INDIRETOS (VTDI)

 

01) AGRADECER  /  PAGAR  /  PERDOAR:

Sempre terão a coisa como objeto direto e a pessoa como objeto indireto.

 

Perdoei os erros ao amigo.

 

02) AVISAR / ADVERTIR / CIENTIFICAR / COMUNICAR / INFORMAR / LEMBRAR / NOTICIAR / NOTIFICAR / PREVENIR

Esses verbos devem apresentar a coisa como objeto direto e a pessoa como objeto indireto, ou vice-versa, originando as construções:

ALGO A ALGUÉM    ou    ALGUÉM DE ALGO.

 

Avisaram a polícia do assalto?

Avisaram o assalto à polícia?

 

03) PEDIR:

VTDI, com a prep. a.

Pedimos calma aos jogadores.

 

04) PREFERIR:

VTDI, com a prep. a e não admitindo o uso de modificadores tais como mil vezes, muito mais, antes, milhões de vezes, mais, etc.

Prefiro cinema a teatro.

 

COMBINAÇÃO DOS PRONOMES OBLÍQUOS ÁTONOS:

 

Quando o verbo for transitivo direto e indireto, poderemos combinar as formas pronominais oblíquas átonas da seguinte maneira:

 

 

ME + O(S) = MO(S)      

TE + O(S) = TO(S)         

LHE + O(S) = LHO(S)    

NOS + O(S) = NO-LO(S)          

VOS + O(S) = VO-LO(S)

LHES + O(S) = LHO(S)

 

ME + A(S) = MA(S)

TE + A(S) = TA(S)

LHE + A(S) = LHA(S)

NOS + A(S) = NO-LA(S)

VOS + A(S) = VO-LA(S)

LHES + A(S) = LHA(S)

 

Por exemplo:

“Entreguei a encomenda a ele.” onde “a encomenda” = e  “a ele” = lhe, então  lhe + a = lha, portanto  “Entreguei-lha.”

 

VI.) VERBOS DE PREDICAÇÃO OSCILANTE:

Os verbos de predicação oscilante são aqueles que ora atuam como transitivo direto, ora como transitivo indireto, ora como intransitivo, dependendo do contexto.

 

01) ESQUECER / LEMBRAR:

Podem ser VTD ou VTI. Serão VTI quando forem pronominais (esquecer-se de ou lembrar-se de)

Esqueci as chaves.

Esqueci-me das chaves.

 

Caso o complemento seja verbo no infinitivo, a preposição pode ser usada mesmo não sendo o verbo pronominal:

 

Esqueci de trazer as chaves.

 

Nota: Serão também VTI, quando se dá ao ser esquecido, ou lembrado, a função de sujeito e à pessoa a de objeto indireto:

 

Lembraram-me os gloriosos dias da adolescência. = Os gloriosos dias da adolescência vieram-me à lembrança.

Esqueceu-me o nome de minha primeira namorada. = O nome de minha primeira namorada caiu ao esquecimento.

 

02) PISAR:

Pode ser VTD ou VI com a preposição em, dando início a adjunto adverbial de lugar.

Não pise a grama. (VTD)

Não pise na grama. (VI)

 

No sentido de esmagar com os pés é só VTD:

Pisar as uvas.

 

03) PRECISAR / NECESSITAR:

Podem ser VTD ou VTI, regendo a preposição de.

Precisamos de um emprego.

Precisamos que nos deem um emprego.

Necessito descanso.

Necessito de descanso.

 

Precisar = indicar com precisão é VTD.

Precisou o local do acidente.

 

04) ABDICAR:

Pode ser VTD, VTI, regendo a preposição de,   ou  VI.

Abdicou a vida em sociedade.

Abdicou de suas mordomias.

O Imperador abdicou.

 

05) ACREDITAR / CRER:

Podem ser VTD ou VTI, regendo a preposição em:

Não creio em suas palavras.

Creio que você teve muita coragem.

 

06) ALMEJAR:

Pode ser VTD, VTI, regendo a preposição por,  ou  VTDI , regendo a preposição a:

Eu almejo um dia estar com você para sempre.

Almejamos por um futuro melhor.

Almejamos um futuro melhor a nossos filhos.

 

07) ANSIAR:

Pode ser VTD, VTI, regendo a preposição por ou VI:

Anseio o seu amor.

Ansiamos por novas oportunidades de emprego.

O garoto ansiava, gritava, regurgitava.

 

08) ANTECEDER:

Pode ser VTD ou VTI, regendo a preposição a:

A ansiedade antecede a euforia.

O zagueiro antecedia ao atacante em todas as jogadas.

 

09) ATENDER:

Pode ser VTD ou VTI, regendo a preposição a:

 

O diretor atendeu o pai do aluno expulso.

A superintendência atendeu ao pedido do governador.

 

10) ATENTAR:

Pode ser VTI, regendo as preposições a, em e para:

 

Atente aos (nos, para os) estudos pré-vestibulares.

 

Nota: Há também a forma atentar por, que significa cuidar de, preocupar-se com:

Atente por seus filhos, enquanto há tempo.

 

Atentar = perpetrar atentado exige a prep. contra.

Atentaram contra a vida dele.

 

11) COGITAR:

Pode ser VTD ou VTI, regendo as preposições de e em:

Cogitávamos viajar no fim de semana.

Cogitou de casar-se no final do ano, mas desistiu.

Sempre cogitou em mudar-se para o exterior.

 

12) CONSENTIR:

Pode ser VTD ou VTI, regendo a preposição em:

O pai não consentiu o casamento com o ex-presidiário.

Os deputados consentiram na adoção de novas medidas econômicas.

 

13) FALTAR:

Pode se VI ou  VTI, regendo a preposição a:

Não faltam aqui bons alunos.

Faltou-lhe coragem para dizer o que pensa.

 

14) GOZAR:

Pode ser VTD ou  VTI, regendo a preposição  de:

Gozava a vida como ninguém.

Sempre gozei de uma vida aprazível.

 

 

15) PRESIDIR

Pode ser VTD ou  VTI, regendo a preposição a:

Ninguém queria presidir aquela reunião.

O coordenador presidiu ao encontro, satisfatoriamente.

 

 

16) RENUNCIAR:

Pode ser VTD ou VTI, regendo a preposição a:

Renunciei os prazeres da vida.

Não renuncie aos seus sonhos.

 

17) SATISFAZER:

Pode ser VTD  ou  VTI, regendo a preposição a:

Sempre satisfiz minhas necessidades básicas.

Satisfaça a seus anseios sempre.

 


Testes de Regência Verbal