Chegue cedo, durma oito horas e alimente-se bem! – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

As moças chegaram rápido à festa.
20 de junho de 2018
Eu amo mais você do que a mim mesmo.
20 de junho de 2018

Chegue cedo, durma oito horas e alimente-se bem!

             Numa noite dessas, na novela das nove, uma personagem aconselhava sua filha, dizendo o seguinte: “Chega cedo, dorme oito horas e se alimenta bem, minha filha”. Ela, ao dizer essas palavras, estava usando os verbos no chamado modo “imperativo”, utilizado para “ordens, pedidos ou conselhos”. O problema é que os verbos estão usados inadequadamente. Vejamos por quê:

 

O imperativo afirmativo é formado a partir de verbos no presente do indicativo e no presente do subjuntivo.

Do presente do indicativo (tempo identificado com a frase “todos os dias…”) provêm “tu” e “vós”, retirando-lhes a letra “s”. Do presente do subjuntivo (tempo identificado com a frase “espero que…”) provêm “você”, “nós” e “vocês”.

 

O verbo “chegar” tem a seguinte conjugação no presente do indicativo: “todos os dias eu chego, tu chegas, ele chega, nós chegamos, vós chegais, eles chegam”. No presente do subjuntivo: “espero que eu chegue, tu chegues, ele chegue, nós cheguemos, vós chegueis, eles cheguem”.

No imperativo afirmativo, “tu” e “vós” provêm do presente do indicativo, perdendo a letra “s”: “chega tu, chegai vós”. “Você”, “nós” e “vocês”, do presente do subjuntivo: “chegue você, cheguemos nós, cheguem vocês”.

 

O verbo “dormir” tem a seguinte conjugação:

Presente do indicativo: eu durmo, tu dormes, ele dorme, nós dormimos, vós dormis (o “i” é a vogal mais forte), eles dormem.

Presente do subjuntivo: que eu durma, que tu durmas, que ele durma, que nós durmamos, que vós durmais, que eles durmam.

Imperativo afirmativo: dorme tu, durma você, durmamos nós, dormi (o “i” é a vogal mais forte) vós, durmam vocês.

 

O verbo alimentar-se tem a seguinte conjugação:

Presente do indicativo: eu me alimento, tu te alimentas, ele se alimenta, nós nos alimentamos, vós vos alimentais, eles se alimentam.

Presente do subjuntivo: que eu me alimente, que tu te alimentes, que ele se alimente, que nós nos alimentemos, que vós vos alimenteis, que eles se alimentem.

Imperativo afirmativo: alimenta-te tu, alimente-se você, alimentemo-nos nós, alimentai-vos vós, alimentem-se vocês.

Obs: Os verbos terminados em “-mos” seguidos de “nos” perdem a letra “s”, por isso o certo é “alimentemo-nos”, e não “alimentemos-nos”.

 

Posto isso, concluímos que a frase dita pela personagem pode ser construída de duas maneiras diferentes:

 

1ª: Referindo-se à segunda pessoa do singular (tu): Chega cedo, dorme oito horas e alimenta-te bem, minha filha.

 

2ª: Referindo-se à terceira pessoa do singular (você): Chegue cedo, durma oito horas e alimente-se bem, minha filha.

 

Como a referida personagem trata sua filha de “você”, a frase elaborada por ela deveria ser a segunda: Chegue cedo, durma oito horas e alimente-se bem, minha filha.

 

Em tempo, se o imperativo for negativo, será conjugado como o presente do subjuntivo: “não chegues tu, não chegue você, não cheguemos nós, não chegueis vós, não cheguem vocês”. “Não durmas, não durma, não durmamos, não durmais, não durmam”. “Não te alimentes, não se alimente, não nos alimentemos, não vos alimenteis, não se alimentem”. Se a frase fosse construída no imperativo negativo, teríamos o seguinte:

 

1ª: Tu = Não chegues cedo, não durmas oito horas, não te alimentes bem, minha filha.

2ª: Você = Não chegue cedo, não durma oito horas, não se alimente bem, minha filha.

 

O segredo é pensar bem antes de construir uma frase em que haja ordem, pedido ou conselho. Falar bem é uma virtude que todos deveriam procurar ter. Veja mais exemplos de imperativo:

 

– Mande-me seu endereço o mais rápido possível. (você)

– Manda-me teu endereço o mais rápido possível. (tu)

 

– Sente-se, que irei chamar seu pai. (você)

– Senta-te, que irei chamar teu pai. (tu)

 

– Não me deixe, por favor!  Eu a amo muito. (você)

– Não me deixes, por favor! Eu te amo muito. (tu)

 

 – Preste atenção à aula, menino, senão não aprenderá nada. (você)

– Presta atenção à aula, menino, senão não aprenderás nada. (tu)

 

– Já lhe disse várias vezes: Cale-se! (você)

– Já te disse várias vezes: Cala-te! (tu)

 

– Vem pra cá, Charlene. Tu não te arrependerás. (tu)

– Venha para cá, Charlene. Você não se arrependerá. (você)

 

– Não me faças ficar esperando-te muito tempo. (tu)

– Não me faça ficar esperando-a muito tempo. (você)

 

– Controle-se. Cuide de seu colesterol. (você)

– Controla-te. Cuida de teu colesterol. (tu)