Eles veem x Eles vêm. Por que um sem acento e outro com? – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

Fazer parte / Fazer avaliação
20 de junho de 2018
A propaganda d’O Boticário
20 de junho de 2018

Eles veem x Eles vêm. Por que um sem acento e outro com?

 

Toda mudança que ocorre na Língua traz problemas aos usuários, principalmente em reformas ortográficas, como as de 1943, 1971 e, mais recentemente, 2009.

A Reforma de 1971 eliminou o acento das palavras homógrafas heterófonas – palavras com a mesma escrita, mas sons diferentes, como em “a professora” (ô) e “ele professora” (ó), do verbo “professorar”, cujo significado é “ser professor, ensinar”. O substantivo “professora” tinha acento.

Lembro-me bem de que o problema naquela época era o pronome de tratamento “você”. Mais de dez anos depois – quando passei a professorar – alunos perguntavam se o acento em “você” havia sido eliminado. A dúvida ocorria pela eliminação do acento do pronome “ele”, homógrafo heterófono do nome da letra “L” (ele). Como o pronome perdeu o acento, alguns se confundiram e acharam que “você” é que o havia perdido!

Agora o problema se encontra em alguns verbos: a Reforma Ortográfica eliminou o acento do primeiro “e” das formas verbais “creem, deem, leem e veem” e de seus derivados. Com isso alguns estudantes se confundem e julgam que não há mais acento nas formas verbais “vem” e “tem” quando no plural, mas há-o: “eles têm” e “eles vêm”, formas homônimas perfeitas – mesma escrita e mesmo som – de “ele tem” e “ele vem” – estes sem acento; aqueles, com.

Como exemplo, a frase contida na reportagem sobre o Ebola veiculada no Jornal Blitz de dezembro de 2014: “Há, porém, casos de pessoas que vêm de países da África que têm sofrido manifestações racistas e xenófobas publicadas em redes sociais”.