Estou em férias, mas em convalescença. – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

Não se devem premiar os filhos pelas notas X Não se pretende premiar os filhos pelas notas.
6 de agosto de 2018
Ambiguidade e sequência inadequada
20 de outubro de 2018

Estou em férias, mas em convalescença.

Preposição é uma palavra gramatical invariável que, dentre outras funções, exprime circunstâncias (de tempo, modo, causa, lugar, estado, meio, finalidade, etc.). Existem as preposições essenciais – por, para, perante, a, ante, até, após, de, desde, em, entre, com, contra, sem, sob, sobre e trás – e as acidentais – conforme, consoante, exceto, fora, afora, salvo, etc. Há, ainda, a possibilidade do uso de uma locução prepositiva, geralmente formada por um advérbio seguido de preposição – além de, diante de, atrás de – ou por advérbio precedido e seguido de uma preposição – por baixo de – ou ainda formada por duas preposições subsequentes – por sobre, para com.

Em virtude da variedade de usos, o estudo das preposições apresenta bastantes dificuldades ao jovem estudante. Algumas apresentam semelhanças que obscurecem ainda mais o entendimento de sua utilização. Vejamos alguns exemplos e a adequada explicação:

É muito comum ouvirmos de pessoas que encerraram seu ano de atividades profissionais ou escolares a estrutura frasal formada pelo verbo estar e o substantivo férias: “Estou de/em férias”. Qual a preposição adequada a esse tipo de frase? “Estou de férias” ou “Estou em férias”? Vamos à explicação:

 

A preposição em deve ser utilizada para a indicação de circunstância de modo de ser ou estado. A preposição de, para a de meio ou instrumento. O substantivo férias usado junto ao verbo estar não indica o meio a ser utilizado, mas sim o estado em que se encontra o indivíduo, por isso o adequado é dizer “Estou em férias!

 

De fato estou em férias, e, como havia a necessidade de me submeter a uma cirurgia de varizes, o Dr. Antônio Pazinatto fê-la logo no início do meu período de descanso e me recomendou um repouso de quinze dias. Então, como diriam os lusitanos, “Estou a convalescer-me da cirurgia”, “Estou a repousar”; ou, como diríamos nós, brasileiros, “Estou convalescendo-me da cirurgia”, “Estou repousando”. Estou, portanto, num estado de convalescença, logo poderia também dizer que “Estou em convalescença”, “Estou em repouso”. Ambas com a preposição em!

 

O leitor poderia, agora, perguntar-me acerca dessa explanação o seguinte: ‘Então é errado dizer ‘Estou de cama’? Já que é o estado em que a pessoa se encontra?

Não! Não é inadequado dizer ‘Estou de cama’, pois ‘cama’ não é o estado em que se encontra o enfermo ou o convalescente, e sim o instrumento, o meio utilizado para que o estado seja concretizado, e, para essa circunstância – meio ou instrumento –, utiliza-se a preposição de. Observe outros exemplos:

– “Ele estava em alta velocidade” – estado;

– “Ele estava de carro” – meio;

– “Estamos em harmonia”; – estado;

– “O mundo está em paz”; – estado;

– “Tudo está em ordem”; – estado;

– “Estamos em expectativa”; – estado;

– “O aluno está na expectativa de receber o resultado” (na = em + a); – estado;

– “Temos amigos em comum”. – estado.

 

Outra circunstância indicada pela preposição em relacionada ao assunto de que tratamos até aqui é a de lugar. Observe a seguinte frase:

– “Estou em repouso. O Dr. Pazinatto recomendou-me que ficasse de cama durante quinze dias. Tenho passado a maior parte do tempo lendo no sofá da sala (no = em + o)”.

As circunstâncias indicadas: em repouso – estado; de cama – meio ou instrumento; no sofá – lugar.

 

E, para finalizar, esta:

– “Ele estava de carro, em alta velocidade, na contramão”.

As circunstâncias indicadas: em alta velocidade – estado; de carro – meio ou instrumento; na contramão – lugar.