Nina perdoou a Carminha, mas Tufão não lhe perdoou. – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

O professor chamou o aluno indisciplinado.
20 de junho de 2018
Alteza, abra a porta!
20 de junho de 2018

Nina perdoou a Carminha, mas Tufão não lhe perdoou.

O último capítulo da novela Avenida Brasil, segundo alguns canais de notícias, foi o último capítulo de novela com o maior número de televisores ligados no canal em que ele passou. Dizem, inclusive, que a Presidenta Dilma adiou alguns compromissos para poder assistir a ele. Sabe-se lá se é fato ou boato. O que se sabe é que nunca se falou tanto sobre tantas personagens fictícias quanto de Tufão, Carminha, Nina, Max, etc. A frase apresentada no título deste texto, portanto, deve ter sido muito dita nos dias subsequentes ao capítulo final. E qual a ligação que isso tem com esta coluna, que trata de Gramática da Língua Portuguesa? Vejamo-la:

 

Existem verbos que admitem dois complementos simultâneos. São os chamados verbos transitivos diretos e indiretos ou bitransitivos, como doar (Quem doa, doa algo a alguém), informar (Quem informa, informa algo a alguém ou alguém de algo), pagar (Quem paga, paga algo a alguém), agradecer (Quem agradece, agradece algo a alguém), perdoar (Quem perdoa, perdoa algo a alguém). Os três últimos têm uma peculiaridade em comum: a ‘coisa’, aquilo que é agradecido, pago ou perdoado, sempre deve ser usada sem preposição alguma, e a pessoa, a quem agradece, paga ou perdoa, sempre com a preposição a.

 

Pagar, perdoar e agradecer sempre terão a “coisa” como complemento sem preposição, mesmo que seja complemento único, e a pessoa – física ou jurídica – como complemento com a preposição a, também mesmo que seja complemento único. Não se admitem, portanto, construções como as seguintes:

“Gostaria de agradecer vocês por tudo que fizeram”, que deve ser corrigida para Gostaria de agradecer a vocês tudo que fizeram;

“Não pagarei você hoje”, que deve ser corrigida para Não pagarei a você hoje;

“Jamais perdoarei essa garota”, que deve ser corrigida para Jamais perdoarei a essa garota;

“Nina perdoou Carminha”, que deve ser corrigida para Nina perdoou a Carminha, em que esse a é somente preposição, não artigo feminino. Caso queira colocar o artigo também, ocorrerá crase: Nina perdoou à Carminha.

 

Sabe-se que o complemento de um verbo sem preposição pode ser representado pelos pronomes o, a, os, as. Sabe-se também que o complemento de um verbo com a preposição a pode ser representado pelos pronomes lhe, lhes. A “coisa” que complementar esses verbos, então, será substituída por o, a, os, as, e a pessoa, por lhe, lhes:

 

– Eu sei que a dívida é minha, mas não a pagarei agora.

– Devo muito a você, mas não lhe pagarei agora.

– O convite, agradeço-o comovido.

– Ao meu pai, agradeço-lhe comovido.

– Se ela o trair, não lhe perdoe!

– Sua dívida é grande e não a perdoarei.

– Carminha traiu Tufão, e ele não lhe perdoou.

 

Quando houver dois pronomes – um sem preposição; outro representativo de um termo preposicionado, ambos podem contrair-se. Por exemplo:

 

Não pagarei a dívida ao meu antigo sócio, em que o termo “dívida” não está acompanhado de preposição alguma, e “meu antigo sócio”, sim. “Substitui-se “dívida” por “a” (Não a pagarei ao meu antigo sócio); substitui-se “ao meu antigo sócio” por “lhe” (Não lhe pagarei a dívida). Ambos podem ser substituídos simultaneamente:

 

– Não lha pagarei.

 

Tão pouquissimamente utilizado, que o Word acabou de sublinhar “lha” em vermelho, sinal de que ele não identifica isso como adequado. Pede que corrija para “lhe”, “lá”, “ilha”, “lã”  ou “olha”. Lha, porém, é adequado ao padrão culto da Língua; só que ninguém usa isso!

 

            Eis as contrações existentes:

me + o, a, os, as = mo, ma, mos, mas.

te + o, a, os, as = to, ta, tos, tas

lhe + o, a, os, as = lho, lha, lhos, lhas

nos + o, a, os, as = no-lo, vo-lo, no-los, no-las

vos + o, a, os, as = vo-lo, vo-la, vo-los, vo-las

lhes + o, a, os, as = lho, lha, lhos, lhas.

 

            Observe estes exemplos:

 

– Ela me deu um presente = Ela deu-mo.

– Não lhe darei as chaves = Não lhas darei.

– Já nos ofereceram o cargo = Já no-lo ofereceram.