Te ligo mais tarde! – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

Os funcionários com os quais conversei são os líderes do movimento grevista.
20 de junho de 2018
Londrina é um mercado pelo qual o grupo tem interesse.
20 de junho de 2018

Te ligo mais tarde!

O verbo “ligar” é usado na linguagem coloquial brasileira como sinônimo de “telefonar”, apesar de gramaticalmente não o ser; é uso popular. Usar esse verbo no dia a dia não é incorreção; é inadequação aos padrões cultos da Língua Portuguesa. Deve-se evitar a utilização dele em documentos oficiais, em textos técnicos, que não admitem inadequações, ou em conversas muito formais, como numa entrevista para emprego. Já em uso informal, numa linguagem cotidiana, não há problema algum. Como o objeto desta coluna é a língua padrão, dela é que trataremos.

 

TU X VOCÊ

 

Quanto ao pronome “te”, ele só é adequado às pessoas que usam costumeiramente o pronome “tu” em sua fala. Caso o utilize, deve também utilizar “teu, tua, contigo, te, ti”. Se o pronome utilizado para tratar as demais pessoas for “você”, o adequado é “seu, sua, com você, consigo (só uso reflexivo: “Traga consigo os documentos”), o, a, os, as (complementos de verbos que não exigem preposição alguma, como “comprar”: “Comprei o carro = Comprei-o”), lhe, lhes” (complementos de verbos que exigem a preposição “a”, como “obedecer e telefonar”: “Obedeço ao meu chefe = Obedeço-lhe”; “Telefonei a você = Telefonei-lhe”).

Para as pessoas que usam “tu” no dia a dia, o adequado seria falar ou escrever assim:

 

– Quando te encontrar novamente, falarei contigo e com teu irmão sobre a pesquisa que eu e tu faremos e te entregarei a ficha de inscrição para o concurso. 

 

Para as pessoas que usam “você”:

 

– Quando o encontrar novamente, falarei com você e com seu irmão sobre a pesquisa que eu e você faremos e lhe entregarei a ficha de inscrição para o concurso. 

 

TEMPO VERBAL

 

Em relação ao tempo verbal, o uso do presente do indicativo (ligo) no lugar do futuro do presente (ligarei) é também coloquial, popular. O ideal é, sempre que houver a indicação de ação futura, usar o futuro do presente (ligarei, ligarás, ligará, ligaremos, ligareis, ligarão; telefonarei, telefonarás, telefonará, telefonaremos, telefonareis, telefonarão):

 

– Amanhã irei até a sua casa, e não Amanhã eu vou até a sua casa;

– Daqui a pouco falarei com você, e não Daqui a pouco falo com você.

 

COLOCAÇÃO PRONOMINAL

 

Finalmente, em se tratando da colocação do pronome antes do verbo (próclise), não há inadequação alguma, pois, na Língua Portuguesa do Brasil, pode-se usar a próclise (pronomes oblíquos átonos – me, te, se, o, a, lhe, nos, vos, os, as, lhes – antes do verbo) em qualquer circunstância, menos no início de frase. (Por exemplo: Não se deve dizer “Te verei amanhã”, mas pode-se dizer “Eu te verei amanhã”; não se deve dizer “Lhe telefonarei à tarde”, mas pode-se dizer “Eu lhe telefonarei à tarde”. Isso tudo para quem quiser usar a língua padrão; no dia a dia, tudo bem!).

 

POPULAR E INADEQUADA AOS PADRÕES CULTOS

 

A frase apresentada no início do texto, então, é popular e inadequada aos padrões cultos. Caso queira usar o padrão culto da Língua Portuguesa, ela deverá ser assim estruturada:

 

– Eu lhe telefonarei ou Eu te telefonarei, conforme use “tu” ou “você” em sua fala cotidiana. Observe mais algumas frases inadequadas e a correção delas:

 

Agora não posso atender você; mais tarde te procurarei. – Inadequada, pois há a desuniformidade de tratamento você/te. O adequado para quem não usa “tu”, é o seguinte:

 

– Agora não posso atender você; mais tarde o procurarei;

– Agora não posso atendê-lo; mais tarde procurarei você;

– Agora não posso atendê-lo; mais tarde o procurarei.

 

Te falaram da confusão que houve? Amanhã eu te conto tudo. – Inadequada, pois há o uso do pronome “te” no início da frase e o uso do presente do indicativo (conto) para ação futura. O adequado, para os que usam “tu”, é o seguinte:

 

– Falaram-te da confusão que houve? Amanhã eu te contarei tudo.

 

Já para os que não usam “tu”:

 

– Falaram-lhe da confusão que houve? Amanhã eu lhe contarei tudo.

– Falaram a você da confusão que houve? Amanhã eu lhe contarei tudo.

– Falaram-lhe da confusão que houve? Amanhã eu contarei tudo a você.

 

Se você puder, venha falar comigo. Tenho um assunto importante para tratar consigo. – Inadequada, pois há o uso do pronome “consigo” sem ser reflexivo. O adequado é o seguinte:

 

– Se você puder, venha falar comigo. Tenho um assunto importante para tratar com você.

Ou, para evitar a repetição de “você”:

– Se puder, venha falar comigo. Tenho um assunto importante para tratar com você.

 

Sem querer ser repetitivo, mas já o sendo, tudo isso é para o uso da língua culta, da língua padrão. No dia a dia, existe a liberdade de se usar a linguagem brasileira, sem preocupações formais.