Vendem-se apartamentos. – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

Vem, jardineira! Vem, meu amor! / Não fiques triste que este mundo é todo teu.
20 de junho de 2018
Faz cinco anos que escrevo para a Folha de Londrina.
20 de junho de 2018

Vendem-se apartamentos.

O pronome “se” é deveras problemático! Às vezes, ele faz o verbo ficar no singular; às vezes, o faz concordar com o termo paciente da ação praticada pelo sujeito. Quem o usa, tem de ficar muito atento. Vejamos o que ocorre com ele:

 

O pronome “se” fará o verbo ficar no singular quando este – o verbo – for indicador de qualidade (ser, estar, ficar, continuar…), ou quando estiver acompanhado de preposição (a, de, por, em..), ou ainda quando ele não tiver complemento algum. Observe as seguintes frases:

 

– “É-se muito feliz na adolescência”.

 

Nessa frase, o pronome “se” acompanha verbo indicador de qualidade, por isso este (o verbo) fica no singular.

 

– “Precisa-se de homens honestos na política brasileira”.

 

Nessa frase, o pronome “se” acompanha verbo com preposição (Quem precisa, precisa “de” algo), por isso, este fica singular.

 

– “Morre-se de Aids. Cuide-se, portanto!”

 

Nessa frase, o pronome “se” acompanha verbo sem complemento algum (quem morre, morre), por isso este fica no singular. O termo “de Aids” é adjunto adverbial de causa.

 

Quando, porém, o pronome “se” acompanhar verbo sem preposição alguma, seguido de termo paciente, ou seja, de elemento que sofre a ação praticada por alguém, o verbo deverá concordar com o sujeito, que é o termo paciente. Observe a frase:

 

– “Vendem-se apartamentos”.

 

Nessa frase, o pronome “se” acompanha verbo sem preposição (Quem vende, vende algo), seguido de termo paciente (O apartamento é vendido por alguém), que é o sujeito do verbo, por isso, como o sujeito “apartamentos” está no plural, o verbo também deverá ficar no plural.