Verbos derivados de ter, pôr, vir e ver. – Gramática On-line

Gramática e Produção de textos
descomplicadas!

A propaganda d’O Boticário
20 de junho de 2018
O imitar é congênito no homem, e os homens se comprazem no imitado. (Aristóteles. Poética)
20 de junho de 2018

Verbos derivados de ter, pôr, vir e ver.

Os verbos derivados de ter, pôr, vir e ver são dos mais cobrados em exames vestibulares em virtude da dificuldade que a população sente ao conjugá-los. Inúmeros cidadãos brasileiros ilustres cometem deslizes principalmente na conjugação do futuro do subjuntivo desses verbos, em razão da semelhança que esse tempo tem com o infinitivo. Ocorre que a maioria dos verbos tem o futuro do subjuntivo e o infinitivo iguais. Veja:

Era para eu estudar ontem.

Quando eu estudar, aprenderei.

A primeira frase apresenta o verbo estudar no infinitivo; a segunda, no futuro do subjuntivo.

Alguns verbos irregulares e outros anômalos, porém, têm a conjugação do futuro do subjuntivo diferente da do infinitivo. É o que ocorre com os quatro verbos apresentados nesta coluna. Veja:

Era para eu pôr dinheiro na poupança.

Quando eu puser dinheiro na poupança…

A primeira frase apresenta o verbo pôr no infinitivo; a segunda, no futuro do subjuntivo.

É aí que reside a dificuldade. Como na maioria dos verbos o futuro do subjuntivo e o infinitivo são iguais, é muito comum ouvirmos frases como "Se eu pôr…" Quando eu deter…", já que o cidadão pensa serem iguais em todos os verbos.

A maneira mais prática, porém, para conjugar adequadamente um verbo derivado é comprovar a existência de tal derivação. Como? Comparando!

Um verbo terminado em –ter será derivado de ter se a primeira pessoa do singular do presente do indicativo terminar em –tenho, pois Todos os dias eu tenho. Se isso ocorrer, toda a conjugação do verbo pesquisado será idêntica à do verbo ter. Por exemplo:

Converter: Todos os dias eu converto, e não Todos os dias eu convertenho. Converter, portanto, não é derivado de ter. Sua conjugação não será, então, idêntica à de ter.

Manter: Todos os dias eu mantenho a calma, e não Todos os dias eu manto a calma. Manter, portanto, é derivado de ter. Toda a sua conjugação é idêntica à do verbo ter:

Ontem eu tive = Ontem eu mantive

Ele teve = Ele manteve

Eles tiveram = Eles mantiveram

Se ele tivesse = Se ele mantivesse

Quando ele tiver = Quando ele mantiver

Um verbo terminado em –ver será derivado de ver se a primeira pessoa do singular do presente do indicativo terminar em –vejo, pois Todos os dias eu vejo. Se isso ocorrer, toda a conjugação do verbo pesquisado será idêntica à do verbo ver. Por exemplo:

Escrever: Todos os dias eu escrevo, e não Todos os dias eu escrevejo. Escrever, portanto, não é derivado de ver. Sua conjugação não será, então, idêntica à de ver.

Prever: Todos os dias eu prevejo, e não Todos os dias eu prevo. Prever, portanto, é derivado de ver. Toda a sua conjugação é idêntica à do verbo ver:

Ontem eu vi = Ontem eu previ

Ele viu = Ele previu

Eles viram = Eles previram

Se ele visse = Se ele previsse

Quando ele vir = Quando ele previr

 

*A exceção é o verbo prover, que no presente do indicativo, no presente do subjuntivo e no imperativo tem conjugação idêntica à de ver, mas nos outros tempos é regular, ou seja, tem conjugação como a de outro verbo qualquer terminado em er, como ocorre com o verbo escrever:

 

Ontem ele proveu a despensa.

 

Um verbo terminado em –vir será derivado de vir se a primeira pessoa do singular do presente do indicativo terminar em –venho, pois Todos os dias eu venho. Se isso ocorrer, toda a conjugação do verbo pesquisado será idêntica à do verbo vir. Por exemplo:

Servir: Todos os dias eu sirvo, e não Todos os dias eu sirvenho. Servir, portanto, não é derivado de vir. Sua conjugação não será, então, idêntica à de vir.

Intervir: Todos os dias eu intervenho, e não Todos os dias eu intervo. Intervir, portanto, é derivado de vir. Toda a sua conjugação é idêntica à do verbo vir:

Ontem eu vim = Ontem eu intervim

Ele veio = Ele interveio

Eles vieram = Eles intervieram

Se ele viesse = Se ele interviesse

Quando ele vier = Quando ele intervier

 

Todos os verbos terminados em –por são derivados de pôr. Por exemplo:

Propor: Todos os dias eu proponho.

 

Toda a sua conjugação é idêntica à do verbo pôr:

 

Ontem eu pus = Ontem eu propus

Ele pôs = Ele propôs

Eles puseram = Eles propuseram

Se ele pusesse = Se ele propusesse

Quando ele puser = Quando ele propuser