Ninguém é ruim em Matemática, nem em Física ou em Química… – Gramática On-line
Trazimento e trazida
15 de setembro de 2014
Uso da preposição a
27 de setembro de 2014

Ninguém é ruim em Matemática, nem em Física ou em Química…

Numa

publicação

em mídia eletrônica de Londrina, havia a seguinte frase: “Falta de hormônio na gestação gera crianças ruins em Matemática”. O que seria uma criança ruim em alguma disciplina?
Segundo o dicionário Aurélio, o adjetivo “ruim” tem os seguintes significados:

 

1. Que não tem préstimo; inútil.
Uma criança não é inútil…

 

2. Que prejudica (física ou moralmente); prejudicial, nocivo, mau.
Uma criança não é nociva, má…

 

3. Que tem má índole; perverso, malvado, mau.
Uma criança é perversa?

 

4. Estragado, deteriorado, podre.
Criança podre?

 

5. Que apresenta defeito; estragado, defeituoso.
Criança com defeito?

 

6. De má qualidade; ordinário.
Criança de má qualidade.

 

Observe, portanto, que é inadequado qualificar uma criança que apresenta dificuldades em aprender determinada matéria como “ruim”. Ela tem dificuldades, e só. A falta de hormônio prejudica o desempenho da criança ou o influencia negativamente, mas “ruim” ela não é!