O pronome relativo cujo. – Gramática On-line
Os pronomes relativos qual, onde e quanto.
21 de fevereiro de 2014
Pronomes de tratamento
21 de fevereiro de 2014

O pronome relativo cujo.

Este pronome indica posse (algo de alguém). Na montagem do período, deve-se colocá-lo entre o possuidor e o possuído (alguém cujo algo).

Por exemplo nas orações seguintes:


Antipatizei com o rapaz. Você conhece a namorada do rapaz.

 

O substantivo repetido rapaz possui namorada. Deve-se, então, usar o pronome relativo cujo, que será colocado entre o possuidor e o possuído:

algo de alguém = alguém cujo algo
a namorada do rapaz = o rapaz cujo a namorada

 

Não é adequado, porém, usar artigo (o, a, os, as) depois de cujo. Ele deverá contrair-se com o pronome, ficando assim:
cujo + o = cujo;
cujo + a = cuja;
cujo + os = cujos;
cujo + as = cujas.

 

Então

algo de alguém = alguém cujo algo
a namorada do rapaz = o rapaz cuja namorada

 

– Antipatizei com o rapaz cuja namorada você conhece.


Outros exemplos:

 

– A árvore foi derrubada. Os frutos da árvore são venenosos.

 

Substantivo repetido = árvore – o substantivo repetido possui algo.

algo de alguém = alguém cujo algo
os frutos da árvore = a árvore cujos frutos

 

Somando as duas orações:

 

– A árvore cujos frutos são venenosos foi derrubada.


O artista morreu ontem. Eu falara da obra do artista.

 

Substantivo repetido = artista – o substantivo repetido possui algo.

algo de alguém = alguém cujo algo
a obra do artista = o artista cuja obra

 

Somando as duas orações:

– O artista cuja obra eu falara morreu ontem.

 

Observe que, nesse último exemplo, a junção de tudo ficou incompleta, pois a segunda oração é

 

Eu falara da obra do artista,

 

porém, na junção, a prep. de desapareceu. Portanto o período está inadequado gramaticalmente. A explicação é a seguinte: Quando o verbo da oração subordinada adjetiva exigir preposição, deve-se colocá-la antes do pronome relativo. Então, haverá o seguinte:

– O artista de cuja obra eu falara morreu ontem.


As pessoas estão presas. Eu acreditei nas palavras das pessoas.

 

Substantivo repetido = pessoas – o substantivo repetido possui algo.

algo de alguém = alguém cujo algo
as palavras das pessoas = as pessoas cujas palavras

 

Somando as duas orações:

– As pessoas cujas palavras acreditei estão presas.

 

O verbo acreditar está usado com a prep. em, portanto ela será colocada antes do pronome relativo:

– As pessoas em cujas palavras acreditei estão presas.


Obs: Todos os pronomes relativos iniciam oração subordinada adjetiva, portanto todos os períodos apresentados contêm oração subordinada adjetiva.