Por que pé-de-meia tem hífen e pé de moleque não o tem? – Gramática On-line
Quero minha vida mais bela; não que não o seja, mas quero-a mais bela do que já é.
13 de março de 2014
Mussarela, muçarela ou mozarela?
13 de março de 2014

Por que pé-de-meia tem hífen e pé de moleque não o tem?

Em virtude da Reforma Ortográfica, algumas palavras perderam o hífen. É o que acontece com as locuções em geral: palavras compostas por três palavras (dois substantivos entremeados por uma preposição – a, de… – ou conjunção – que) não mais são escritas com hífen, a não ser as seguintes exceções:


– água-de-colônia
– arco-da-velha
– cor-de-rosa
– mais-que-perfeito
– pé-de-meia

 

ou as palavras que representem espécies botânicas ou zoológicas – essas sempre terão hífen, seja formada por dois, três ou mais elementos.

 

Eis alguns exemplos de espécie botânica ou zoológica:

 

– cana-de-açúcar
– pimenta-do-reino
– cachorro–do-mato
– aranha-de-jardim
– coco-da-baía (assim mesmo, sem H)
– banana-da-terra
– mico-leão-dourado
– erva-doce
– cheiro-verde
– aranha-armadeira
– peixe-boi
– peixe-mulher (a fêmea do peixe-boi)
– boto-da-baía-de-guanabara

 

Eis alguns exemplos de palavras que perderam o hífen:

 

– pé de moleque
– água de coco
– água de cheiro
– à toa
– dia a dia
– pé de pato
– tênis de mesa
– ponto e vírgula
– caixa de fósforos

 

Se houver a preposição “de” com apóstrofo (), o hífen será obrigatório:

 

– pé-d´água
– caixa-d´água
– estrela-d´alva
– galinha-d´angola
– pau-d´alho