Verbos especiais – Gramática On-line
Um e outro, um ou outro, nem um nem outro
26 de dezembro de 2013
Usos do acento indicador de crase
26 de dezembro de 2013

Verbos especiais

 

O verbo Ser:

 

Quando o verbo ser e o predicativo do sujeito forem numericamente diferentes (um no singular, outro no plural), o verbo deverá ficar no plural.

– O vestibular são as esperanças dos estudantes.
– Tudo são flores, quando se é criança.


Se o sujeito representar uma pessoa ou se for pronome pessoal, o verbo concordará com ele.

– Aline é as alegrias do namorado.
– O Presidente é as esperanças do povo brasileiro.


Se o sujeito for uma quantidade no plural, e o predicativo do sujeito, palavra ou expressão como muito, pouco, o bastante, o suficiente, uma fortuna, uma miséria, o verbo ficará no singular.

 

– Cem reais é muito por esse produto.
– Duzentos gramas de carne é pouco.


Na indicação de horas ou distâncias, o verbo concordará com o numeral.

– Era meio-dia quando ele chegou.
– São duas horas.
– É 1h58min.


Na indicação de datas, o verbo poderá ficar no singular ou no plural, com exceção do primeiro dia do mês, em que o verbo ficará no singular.

– É 1º de outubro.= É dia 1º de outubro ou É o primeiro dia de outubro.
– É 15 de setembro.
= É dia quinze de setembro.
– São 15 de setembro.
= São quinze dias de setembro.

 


O verbo Haver:

 

O verbo haver é impessoal, no sentido de existir, acontecer ou indicando tempo decorrido; por isso fica na 3ª pessoa do singular – caso esteja acompanhado de um verbo auxiliar, formando uma locução verbal, ambos ficarão no singular. Nos outros sentidos, concorda com o sujeito.

– Havia dois meses, nós estávamos à sua procura.
– Poderá haver confrontos entre os policiais e os grevistas.
– Os alunos haviam ficado revoltados.


Haja vista:

 

Com a prep. a: haver no singular; vista invariável:

– Haja vista ao exemplo dado.
– Haja vista aos exemplos dados.


Sem a prep. a: haver no singular ou concorda com o substantivo; vista invariável:

– Haja vista o exemplo dado.
– Haja vista os exemplos dados.
– Hajam vista os exemplos dados.


O verbo Fazer:

 

O verbo fazer é impessoal, indicando tempo decorrido e fenômeno natural; por isso fica na 3ª pessoa do singular – caso esteja acompanhado de um verbo auxiliar, formando uma locução verbal, ambos ficarão no singular. Nos outros sentidos, concorda com o sujeito.

– Faz três meses que não o vejo.
– Faz 35º no verão, em Londrina.
– Deve fazer cinco anos que ele faleceu.

 


Outros verbos impessoais:


 

Os outros verbos impessoais, que também ficam na terceira pessoa do singular, são os seguintes:

Fenômenos da natureza:
– Chove há três dias sem parar.
– Choveram pedras.
Nesse caso, o verbo não é impessoal, pois o sujeito está claro.

 


Passar de, indicando horas:
– Já passa das 11h30.
– Já passava das oito horas, quando ela chegou.


Chegar de e bastar de, no imperativo:
– Chega de firulas! Vamos ao assunto.
– Basta de conversas, meninos!

 


Os verbos Dar, Bater e Soar:

 

Concordam com o sujeito, que pode ser:
O relógio, a torre, o sino…
– O relógio deu quatro horas.
– O sino soou cinco horas.

As horas:

 

O numeral que marca as horas funcionará como sujeito, quando o relógio, a torre, o sino funcionarem como adjunto adverbial de lugar – com a prep. em, ou quando eles não aparecerem na oração.

– No relógio, deram quatro horas.
– No sino, soaram cinco horas.
– Bateram sete horas.

 


O verbo Parecer + infinitivo:

 

Quando o verbo parecer surgir antes de outro verbo no infinitivo, duas ocorrências pode haver:


Locução verbal:

 

Pode ocorrer a formação de uma locução verbal. Nesse caso, o verbo parecer concordará com o sujeito, e o verbo no infinitivo ficará invariável.

– As meninas parecem estar nervosas.
– Os alunos parecem estudar deveras.

 

Período composto:

 

Pode ocorrer a formação de um período composto, com o verbo parecer na oração principal, invariável, e o verbo no infinitivo, formando oração subordinada substantiva subjetiva reduzida de infinitivo, concordando com o sujeito.

– As meninas parece estarem nervosas.
– Os alunos parece estudarem deveras.

Nesses dois casos, se desenvolvermos as orações, haverá o seguinte:

– Parece as meninas estarem nervosas; frase que proveio de Parece que as meninas estão nervosas.
– Parece os alunos estudarem deveras; frase que proveio de Parece que os alunos estudam deveras.